Data: 08/11/2019 10:45 / Autor: Redação / Fonte: COFIP ABC

Polo Petroquímico leva palestras para moradores do entorno


Carlos Barbeiro, consultor técnico do COFIP ABC e da Abiquim, em palestra sobre qualidade do ar
Carlos Barbeiro, consultor técnico do COFIP ABC e da Abiquim, em palestra sobre qualidade do ar

Crédito: divulgação

Compartilhar informações sobre temas de interesse da população nas áreas de saúde, segurança e meio ambiente é o objetivo do programa Polo na Comunidade, que neste semestre iniciou a circulação de novas palestras sobre diferentes assuntos, em atendimento a pedido de moradores do entorno do Polo Petroquímico, entre os municípios de Mauá, Santo André e São Paulo.

As apresentações são realizadas pelo Comitê de Fomento Industrial do Polo do Grande ABC (COFIP ABC) e pela Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), em conjunto com a comunidade vizinha do Polo, que é representada pelo Conselho Comunitário Consultivo (CCC), fórum de relacionamento que visa ampliar o diálogo entre moradores do entorno e colaboradores da indústria.

Em palestra sobre qualidade do ar, Carlos Barbeiro, consultor técnico do COFIP ABC e da Abiquim, apresenta as fontes de emissões atmosféricas e esclarece que a fumaça branca comumente vista no Polo Petroquímico é apenas vapor de água. “As empresas utilizam água para resfriar produtos, então muitas chaminés soltam vapor de água, que não é uma fonte de poluição”, explica o engenheiro especializado em Saúde, Segurança e Meio Ambiente.

Barbeiro aponta ainda que um dos riscos para a saúde é a exposição a materiais particulados, que são poluentes suspensos no ar, emitidos, principalmente, por veículos leves e pesados com mais de 10 anos, por não serem dotados de catalisadores, uma parcela significativa da frota brasileira. “Um carro com mais de 10 anos solta 40 vezes mais poluentes do que um carro novo”, compara.

Um dos problemas apontados pelo engenheiro é a saturação do catalisador, que cumpre a função de filtrar os gases de escape, resultantes da combustão do motor, somente durante o período de cinco anos ou a rodagem de 80 mil quilômetros. Depois disso, é recomendada a troca do equipamento. “Se não for trocado, o catalisador deixa de fazer a função”, alerta.

Saúde – Em outra palestra, Barbeiro fala sobre a tireoidite de Hashimoto, uma doença autoimune que provoca disfunções na tireoide, glândula responsável pela produção de hormônios que regulam o organismo. “Trata-se de uma doença de origem multifatorial, o que dificulta o diagnóstico”, comenta.

Pesquisas científicas apontam que um dos fatores de risco é a ingestão de iodo, encontrado no sal. O excesso de iodo provoca o hipotireoidismo e a falta de iodo, o hipertireoidismo. “Nós tendemos a ter alta dosagem de sal iodado no corpo por conta do elevado consumo de produtos industrializados, que levam sal iodado como agente conservante”, aponta.

Em dois meses, o programa Polo na Comunidade já fez quatro apresentações, que alcançaram 167 moradores dos bairros Jardim Silvia Maria, Jardim Sônia Maria e Jardim Oratório (Mauá), Parque Capuava (Santo André) e Parque São Rafael (São Paulo). A proposta é agendar novas datas em 2020, conforme a demanda da comunidade vizinha.

Comente aqui