Data: 08/04/2013 16:06 / Autor: Redação / Fonte: S2Publicom

Pesquisa revela que crianças estão sendo diagnosticadas contra o câncer mais cedo

Pesquisa é divulgada no mês que marca o aniversário de 14 anos do Instituto Ronald McDonald


 

Resultados preliminares de estudo do Núcleo de Avaliação de Tecnologias em Saúde do Instituto Fernandes Figueira confirmam que o Programa Diagnóstico Precoce do Instituto Ronald McDonald tem contribuído para o encaminhamento mais rápido de casos suspeitos.

O Instituto Ronald McDonald tem muito que comemorar no mês de abril. Além de celebrar 14 anos de existência da organização, é a ocasião em que divulga um estudo exclusivo realizado pelo Núcleo de Avaliação de Tecnologias em Saúde do Instituto Fernandes Figueira (NATS/IFF), órgão reconhecido pelo Ministério da Saúde como Centro Nacional de Referência e como Hospital de Ensino. A pesquisa mostra que o Programa Diagnóstico Precoce do Instituto Ronald McDonald contribui diretamente para uma maior capacidade de suspeita de casos e menor tempo de trajetória, o que contribui para o aumento das chances de cura.

O câncer ainda é a principal causa de mortalidade, por doença, na faixa de 5 a 19 anos. As chances de cura podem chegar a 85%, desde que o diagnóstico seja feito precocemente, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). O objetivo do Programa Diagnóstico Precoce é capacitar profissionais da Estratégia Saúde da Família (ESF), bem como os médicos da atenção básica do SUS que sejam referência para o atendimento de crianças e adolescentes em parceria com instituições de diversas regiões do país, de forma que casos suspeitos sejam corretamente encaminhados, contribuindo para o tratamento adequado e o aumento das chances de cura dos pequenos pacientes.

Criado em 2008 em parceria com o Instituto Nacional de Câncer (INCA) e a Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (Sobope), o Programa possibilitou que mais de 13 mil profissionais fossem capacitados desde a primeira etapa em todo o Brasil, o que representa uma área de cobertura de 106 municípios em 12 estados.

A pesquisa, realizada através de dados coletados em prontuários, entrevista com os responsáveis pelos pacientes, entrevistas com enfermeiros capacitados e base de dados do Programa, mostra que houve um aumento de 23% de crianças/adolescentes que chegaram aos hospitais pesquisados para concluir a avaliação diagnóstica nas regiões em que o Programa foi implementado. Além disso, mostrou que o tempo de trajetória em semanas do paciente desde o diagnóstico até o tratamento fosse reduzida em 61% (de 13 para 5 semanas). O impacto pode ser inferido pelo aumento do número de casos suspeitos e redução do tempo de encaminhamento.

A realização do Programa Diagnóstico Precoce do Instituto Ronald McDonald é possível graças às doações arrecadadas pela Campanha dos Cofrinhos, que tem mobilizado cada dia mais clientes da rede de restaurantes McDonald’s a doarem o troco em prol da causa do câncer infantojuvenil. Ao todo, cerca de R$ 3.153.233,66 milhões já foram destinados aos projetos de capacitação de profissionais de saúde por meio do Programa desde 2008.

Comente aqui