Data: 04/04/2013 16:40 / Autor: Redação / Fonte: RS Press

Pesquisa inédita no tratamento do câncer de próstata metastático

DR. Juan Morote apresentará estudo durante o IV Simpósio Internacional de Câncer Urológico


Dr. Juan Morote
Dr. Juan Morote

Crédito: Divulgação

 

Nos próximo fim de semana, dias 5 e 6 de abril, a cidade de São Paulo receberá o IV Simpósio Internacional de Câncer Urológico, no Centro de Convenção Rebouças. Durante o primeiro dia de atividades, o professor e presidente do departamento de urologia da Vall D’ Hebron Hospital e Universidade Autônoma de Barcelona, Juan Morote, apresentará pesquisa inédita no Brasil que aponta a redução dos níveis de testosterona de 50 ng/dl para 20 ng/dl para o tratamento de pacientes com câncer de próstata em estado metastático, em paralelo ao uso de outros medicamentos.

O estudo gera polêmica na área. Até o momento, pacientes recebem tratamento com nível de redução de testosterona em até 50 ng/dl. Os níveis de testosterona em um homem normal variam entre 350 e 1000 nanogramas por cecilitro (ng/dl). A pesquisa provocadora realizada por Morote com cerca de 100 pacientes apontou que há a melhora significante na qualidade de vida e sobrevida dos que passaram pelos procedimentos. Segundo o levantamento, o crescimento das células da próstata e células de câncer de próstata é retardado para níveis baixos de testosterona, desestimulando seu crescimento.

Uma das razões para o limite da redução do nível de testosterona até 50 ng/dl está relacionada ao mínimo recomendado para evitar efeitos adversos, como a castração química. Abaixo de 50 ng/dl podem ocorrer efeitos colaterais que diminuirão a libido do paciente, por exemplo.

Outro ponto importante apontado pelo estudo é o uso do hormônio mais adequado para o tratamento de pacientes. Morote também debaterá sobre a variedade de hormônios disponíveis no mercado que, apesar de ser grande, não são iguais e não correspondem de maneira similar. O especialista trará estudos sobre os medicamentos que estão à disposição para terapia.

Câncer de próstata pode ser tratado com medicação semestral

Atualmente, no país, pacientes diagnosticados com câncer de próstata em fase tardia têm acesso a tratamentos que não são dolorosos, como é o caso do acetato de leuprorrelina, comercializado como Eligard®, da Zodiac. Ministrado através de aplicação subcutânea (sob a pele) e aplicado apenas trimestralmente, o medicamento proporciona maior comodidade e qualidade de vida, aumentando dessa forma a aderência do paciente ao tratamento.

Em países da Europa e nos EUA, a mesma medicação que mudou a realidade dos pacientes brasileiros já é administrada em intervalos semestrais. Os estudos realizados com a dosagem semestral (45 mg) apontam que o medicamento possui as mesmas taxas de controle da testosterona que as dosagens mensal (7,5 mg) e trimestral (22,5 mg) e 87,3% dos pacientes em tratamento consideram o método mais cômodo, pois a aplicação é feita duas vezes ao ano.

De acordo com Roni Fernandes, responsável pela uro-oncologia do Departamento de Cirurgia da Irmandade de Misericórdia da Santa Casa de São Paulo e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Urologia de São Paulo, que também será palestrante do Congresso, o medicamento é eficaz por seu sistema de liberação lenta no organismo.

A terapia permite que o medicamento fique ativo com as dosagens necessárias pelo período de seis meses. “O tratamento, além de ser mais cômodo, é menos doloroso, pois a agulha de aplicação subcutânea é menor. A possibilidade de usar uma medicação semestral facilita também a questão de documentação, pois os pacientes irão menos vezes ao hospital para assinar os papéis de requerimento”, ressalta Fernandes. Até outubro deste ano o remédio chegará ao Brasil.

No Simpósio, o especialista brasileiro realizará palestra sobre hormonioterapia no Câncer de Próstata, quando abordará o cenário atual e suas perspectivas no Brasil.

Simpósio Satélite Zodiac – sexta-feira, 5 de abril, às 12h

Níveis de testosterona: a importância do melhor controle

Dr. Juan Morote

- Prof. e Presidente de Urologia da Vall D’ Hebron Hospital e Univ. Autônoma de Barcelona
- Diretor do Programa de Pesquisa em Câncer de Próstata da Vall D’ Hebron
- Especialista em Câncer de Próstata
Hormonioterapia no Câncer de Próstata – Cenário atual e perspectiva no Brasil

Dr. Roni Fernandes

- Vice- Presidente da Sociedade Brasileira de Urologia - Seccional São Paulo
- Professor Assistente da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo
- Primeiro Assistente e responsável pela Uro-Oncologia da Disciplina de Urologia
- Departamento de Cirurgia da Irmandade de Misericórdia da Santa Casa de São Paulo

Sobre o IV Simpósio Internacional de Câncer Urológico

Nos dias 5 e 6 de abril, no Centro de Convenção Rebouças, em São Paulo, acontecerá pelo quarto ano consecutivo o Simpósio Internacional de Câncer Urológico. Mais de 1000 especialistas nacionais e internacionais são aguardados para o evento, que debaterá os avanços da biologia molecular, diagnóstico com novos marcadores moleculares, cirurgia nos tumores oligo-metastáticos, novas drogas-alvo e novas pesquisas internacionais. Informações: http://eventus.com.br/uro_oncologia/index.php

Serviço:

IV Simpósio Internacional de Câncer Urológico
Data: 5 e 6 de abril
Local: Centro de Convenções Rebouças
Endereço: Av. Rebouças, 600, São Paulo

Comente aqui