Data: 22/04/2013 13:20 / Autor: Redação / Fonte: Em Pauta

Novas regras para trabalhadores domésticos devem beneficiar lavanderias

Expansão dos serviços de lavanderias pode ser uma das consequências desta nova realidade, segundo o Sindilav


 

Acabam de entrar em vigor as novas regras estabelecidas para os trabalhadores domésticos. Com a aprovação da PEC 66/2012 pelo Senado, no final de março, os trabalhadores domésticos passam a ter mais direitos garantidos. Se é justo que a lei os trate como os demais trabalhadores, é fato que as novas regras vão aumentar os gastos dos empregadores, o que pode, eventualmente, levar a mudanças nos hábitos das famílias brasileiras.

 “As famílias mais abastadas, que hoje têm dois ou três funcionários, vão reduzir esse número. E quem só tem uma empregada mensalista pode ter que optar por dispensá-la e contratar uma faxineira, para reduzir os gastos”, opina José Carlos Larocca, presidente do Sindilav – Sindicato Intermunicipal de Lavanderias no Estado de São Paulo.

Para Larocca, esta é uma oportunidade para que as lavanderias expandam seus negócios, conquistando um público que, até então, tinha suas roupas lavadas em casa pelos trabalhadores domésticos. “Com a redução da carga horária desses trabalhadores e o aumento dos custos para mantê-los, é natural que as pessoas tentem encontrar uma nova solução para lavar suas roupas, migrando para as lavanderias”, afirma o presidente. Peças como camisas, blusas, saias e vestidos, que demandam um acabamento final de passadoria, mas que normalmente são lavadas em casa, devem migrar para o serviço de lavanderia. 

Na avaliação do Sindilav, o aumento de demanda nas lavanderias deve ser sentido em médio prazo – entre 12 e 18 meses, aproximadamente. “É o tempo em que as pessoas vão tentar se adaptar à nova realidade”, diz Larocca. Depois desse período, acredita, haverá um momento de mudança na cultura do uso das lavanderias. “As pessoas vão começar a perceber que usar os serviços de lavanderia não é tão caro quanto parece e talvez comecemos a notar o movimento semelhante ao que há em cidades como Nova York, onde o uso de lavanderias é disseminado, popular e agregado ao cotidiano de todos”.

Segundo ele, a consequência natural, mas ainda longínqua desse movimento, será a queda de preços nas lavanderias, o que ajudará a popularizar ainda mais o serviço. “Hoje, as lavanderias trabalham com margens de lucro baixíssimas, pois a demanda é pequena. Mas com essa nova realidade, será possível investir em equipamentos e agregar valor ao serviço. O preço pode cair, sem prejuízo para o empresário, em três ou quatro anos”, projeta.

Larocca lembra que os próprios empresários de lavanderia podem incentivar os clientes a aumentar a utilização dos serviços, tendo como tema as mudanças da lei. “É importante fazer promoções e atender ainda melhor para fidelizar os clientes. Vale também explicar as vantagens de usar a lavanderia: um melhor acabamento e maior durabilidade das peças de roupa”, exemplifica.

Comente aqui