Data: 13/07/2020 11:46 / Autor: Redação / Fonte: Singular

Nota de falecimento - Professor Jorge Adilson Botelho Calil


professor de Física Jorge Adilson Botelho Calil
professor de Física Jorge Adilson Botelho Calil

Crédito: Divulgação

Faleceu hoje (13 de julho) por complicações da Covid, o professor de Física Jorge Adilson Botelho Calil, um dos fundadores do Colégio Singular e Cursinho Singular Anglo Vestibulares e também o professor mais antigo da rede de ensino. Ele tinha 76 anos de idade.

O velório será realizado a partir das 14 horas no Osan, localizado na rua Maria do Carmo F. G. Ornellas, 82 - Vila Artártica - Praia Grande - e o sepultamento acontecerá às 16 horas no Cemitério da Praia Grande, rua Salvador de Cicco Netto, 3377 - Vila Antártica.

A história do professor Jorge Adilson Botelho Calil e seu amigo Adilson Marante com o Singular nasceu em janeiro de 1966, quando chegaram em Santo André, com a intenção de abrir um cursinho preparatório para Engenharia, que seria batizado de Singular.

A dupla tinha embaixo do braço 50 cartazes, um balde de cola e a dúvida de onde instalar o promissor empreendimento. Tomaram conhecimento da existência de outro cursinho – o qual funcionava no prédio de uma escola de primeiro grau, o Liceu Monteiro Lobato - que atendia vestibulandos da área de Humanas, chamado Ciências e Letras e cujo dono era o professor Alexandre Takara.

Os dois amigos fizeram um acordo com o dono da escola, o professor de História Pedro Jorge sobre o aluguel de uma sala, a ser utilizada somente no período noturno pelo Cursinho Pré-Vestibular Singular. A partir de então, o Liceu Monteiro Lobato passou a abrigar dois cursinhos - Ciências e Letras e o Singular, iniciando a história de grande sucesso de uma das maiores redes de ensino do ABC.

Algum tempo depois, os professores Calil e Adilson venderam suas participações no Curso Singular para os engenheiros e professores de Matemática Paulo Roberto De Francisco e Paolo Gambogi. Posteriormente, o professor Takara fez o mesmo.

Calil optou por se desfazer de sua parte porque simultaneamente ao cursinho, mantinha uma empresa de refrigeração, que alguns anos depois fechou. Foi quando ele retornou ao tablado para fazer umas das coisas que mais amava, lecionar.

Paulo Roberto De Francisco, diretor de vestibulares, conta que Calil teve vários cargos no Singular, mas jamais deixou de dar aulas, mesmo com a aposentadoria e mudança para a Praia Grande. “A arte de ensinar corria em suas veias”, finaliza o diretor.

Comente aqui