Data: 05/04/2013 13:56 / Autor: Redação / Fonte: Incor

Não deixe a pressão te pegar

Artigo de Dr. Luiz Bortolotto


Dr. Luiz Bortolotto
Dr. Luiz Bortolotto

Crédito: Divulgação

Para saber como o problema da hipertensão é algo que deve ser levado a sério, faça os seguintes exercícios de imaginação. Se você e seu esposo ou esposa, namorado ou namorada saírem com um casal amigo para um jantar, é bem provável que pelo menos uma das pessoas que está sentada à mesa tenha pressão alta. Quando você estiver dentro de um ônibus lotado, pense que pelo menos 20 dos passageiros ali têm a pressão arterial acima do aceitável. Agora imagine o estádio do Pacaembu lotado. Um terço daquela multidão, neste caso 13.500 pessoas, está correndo o risco de ter enfartes, derrames e doenças sérias nos rins, porque sofre de pressão elevada. E o pior: é bem provável que grande parte dessas pessoas não tenham a mínima idéia de que estão sofrendo com essa doença.

Este é o alcance da hipertensão. Um mal que está entre nós, na nossa família, no nosso trabalho e, talvez, em nós mesmos. E os casos de hipertensão têm aumentado cada vez mais. Isso porque vivemos em um mundo no qual há cada vez mais pressão: crise econômica, violência, congestionamentos, notícias ruins.... Para aliviar o peso dessa pressão, costumamos exagerar na bebida ou fumarmos acreditando que isso ira nos relaxar. Nossa alimentação costuma ter uma grande quantidade de sal e aditivos químicos que fazem com que a pressão arterial se eleve. E na correria da vida atual sobra muito pouco tempo para nos exercitarmos fisicamente, termos uma vida calma e prazerosa, fazermos coisas que de fato gostamos.

Neste próximo domingo, dia 7, é o Dia Mundial da Saúde, e o tema destacado pela Organização Mundial de Saúde neste ano é o da hipertensão arterial, mal que assola cerca de uma em cada três pessoas no mundo. Essa proporção da doença também está presente entre os brasileiros. A hipertensão ou pressão alta aumenta o risco de infarto, acidente vascular cerebral (AVC) e insuficiência renal. Se deixada sem controle, a pressão alta pode também causar cegueira, irregularidades do batimento cardíaco e insuficiência cardíaca.

Mas a boa notícia é que a hipertensão pode ser prevenida e tratada, o que pode diminuir bastante a chance da ocorrência dessas complicações.  Para evitá-la, é recomendável reduzir o consumo de sal, evitar o uso abusivo de álcool e o uso do cigarro, consumir uma dieta mais balanceada e fazer uma atividade física regular e manter um peso saudável.

O objetivo principal deste dia Mundial da Saúde 2013 conscientizar a população da importância de diagnosticar a doença e seguir o tratamento corretamente e assim reduzir a ocorrência de infarto e AVC. Os objetivos específicos da OMS são:

•          Aumentar o alerta para as causas e as consequências da hipertensão

•          Fornecer informações de como prevenir a doença e suas complicações.

•          Encorajar os adultos a checar a sua pressão e a seguir corretamente as orientações dos profissionais de saúde.

•          Encorajar os cuidados pessoais para prevenir o aumento da pressão (como manter uma dieta adequada, controlar o estresse, ter uma atividade física regular.

•          Tornar as medidas de pressão acessíveis a todos.

•          Incitar as autoridades locais e nacionais a criar ambientes mais adaptados a comportamentos saudáveis.

Esses objetivos também são perseguidos pela Unidade Clínica de Hipertensão do Incor, que apoia inteiramente a campanha da OMS e regularmente os divulga para a população. Há vários anos, a Unidade vem se destacando nas pesquisas com vistas ao melhor entendimento da doença, e também na assistência aos pacientes mais graves que vêm encaminhados das unidades de saúde. Neste ano, vários projetos serão iniciados, incluindo a aplicação de novas tecnologias, como a telemedicina para auxiliar no tratamento, além de novos métodos para detectar as complicações precoces da doença e a introdução de técnicas inovadoras no Brasil para o tratamento das formas mais graves da doença.

* Dr. Luiz Bortolotto, Diretor da Unidade Clínica de Hipertensão e Incor (Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP)

Comente aqui