Data: 22/09/2020 17:45 / Autor: Ane Caroline / Fonte: IEMA

Monitor de Ônibus SP: Nova ferramenta para acompanhamento do transporte público

Através da ferramenta, é possível fazer um levantamento da quantidade de emissão de poluentes pelos ônibus


Crédito: Adamo Bazani

Hoje, 22 de setembro, é comemorado Dia mundial sem carro. E neste dia, é lançado pelo Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA), o Monitor de Ônibus SP. Trata-se de uma ferramenta online para acompanhamento do sistema de ônibus da capital paulista, e através dela é possível estimar as emissões dos ônibus municipais, além de acompanhar a evolução de indicadores de qualidade e uso do serviço prestado como velocidade média, frota total de veículos, oferta de lugares e número de passageiros transportados.

O Monitor de Ônibus SP foi criado para auxiliar o acompanhamento das emissões de gases de efeito estufa (GEE) e de poluentes provenientes dos ônibus da cidade de São Paulo. Com ele, será possível fazer o acompanhamento do cumprimento dos compromissos da Lei Municipal 16.802 de 2018, no qual procura-se reduzir pela metade as emissões de CO2 do transporte por ônibus paulistano; em 90%, as de MP; e em 80%, as de NOx até 2028, tendo como base o ano de 2016. "O Monitor de Ônibus SP é uma ferramenta que processa os dados abertos da prefeitura e disponibiliza análises ágeis e acessíveis para a sociedade acompanhar o nível de oferta de transporte, a fluidez da operação e as emissões. Com isso, almejamos contribuir para termos em São Paulo um transporte público inclusivo, de qualidade e não poluente", diz David Tsai, um dos seus idealizadores

Com o isolamento social causado pela pandemia do coronavírus, ocorreu a diminuição de pessoas nas ruas, assim como da frota de ônibus circulando, e essa diminuição proporcionou a circulação mais rápida dos veículos (32% maior que antes da pandemia), e diminuiu em 52% as emissões de dióxido de carbono, um dos causadores do aquecimento global. Quanto à emissão de Material Particulado (MP), composto por fuligem e outras partículas sólidas ou líquidas em suspensão na atmosfera que podem causar problemas cardiorrespiratórios, esta diminuiu 51%. Por fim, os oxídos de nitrogênio (NOx), responsáveis por problemas pulmonares, tiveram sua emissão reduzida em 56%.

VELOCIDADE MÉDIA

Mas por que o aumento da velocidade média dos ônibus contribui para redução das emissões? Sob uma velocidade maior, eles ficam menos tempo no trânsito e tornam-se mais eficientes, gerando menos emissão por quilômetro trafegado.  Além disso, uma velocidade média mais alta se transforma em viagens mais rápidas, menos estresses para os funcionários, e leva a uma gestão mais simples da operação das empresas, incluindo menor quantidade de combustível gasto.

FROTA

Através do Monitor de Ônibus também foi possível ver que de abril a junho 237 milhões de pessoas utilizaram transporte público, ante o valor de 674 milhões no mesmo período do ano passado. Mesmo com o número reduzido de passageiros, trata-se de um número considerável de pessoas. Segundo Felipe Barcellos e Silva, pesquisador do IEMA, a decisão de diminuir a frota de ônibus no início da pandemia foi errônea, “porque os ônibus ficaram mais lotados, colocando em risco a saúde dos passageiros, motoristas e cobradores”, tanto que logo voltaram atrás nessa decisão. Hoje, a frota de ônibus em circulação nos dias úteis é de em média 12 mil veículos, enquanto esse número chegou a 13,8 mil no pré-pandemia e a apenas 6,8 mil no início dela.

QUALIDADE DO AR

Segundo medições da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), a concentração de MP no ar na primeira quinzena de abril na cidade de São Paulo foi consideravelmente menor do que o mesmo período nos três anos anteriores, ou seja, a diminuição de emissões de poluentes pelos ônibus contribuiu para uma melhor qualidade do ar em toda a cidade.

Clique aqui para acessar o Monitor de Ônibus SP. 

Comente aqui