Data: 10/09/2019 13:57 / Autor: Redação / Fonte: Itaú Cultural

Itaú Cultural realiza programação especial para o Setembro Azul

O Núcleo de Educação e Relacionamento do Itaú Cultural realiza uma programação especial para celebrar o Setembro Azul, voltado para o universo das pessoas surdas


Palhaço Surddy
Palhaço Surddy

Crédito: Olívia Godoy

As atividades acontecem entre os dias 18 (quarta-feira) e 22 (domingo), em torno do tema Comunicação e Arte: Colocar-se no Mundo como Surdo. Na pauta estão as linguagens artísticas, que vão do teatro e circo à literatura e performance passando, ainda, pela música, usadas para e por surdos para apresentar sua realidade à sociedade.

O dia nacional do surdo é comemorado em 26 de setembro por ser esta a data de inauguração do Instituto Nacional de Educação de Surdo (INES), criado em 1857, no Rio de Janeiro. Essa foi a primeira escola voltada para o ensino formal desta comunidade no Brasil. Neste mês, intuito da programação apresentada pelo instituto, de acordo com Samara Ferreira, coordenadora do Núcleo de Educação e Relacionamento do Itaú Cultural, é pensar nas potências das pessoas e em tudo que é possível aprender e construir com elas, por meio de suas diferenças. “Além disso, é importante usar este espaço para conscientizar as pessoas desse universo em que todos podem aprender e ensinar”, completa ela. 

Um dia antes do início desta programação (terça-feira, 17), o instituto participa da abertura do festival Sem Barreiras, promovido pela Prefeitura de São Paulo. Na ocasião, às 18h, a ONG Escola de Gente lança no Itaú Cultural o Vem CA, um aplicativo de cultura acessível criado com o apoio da instituição. Na sequência, às 20h, a Pulsar Companhia de Dança apresenta o espetáculo Nas Vizinhanças de Renata. Nele, com direção de Maria Teresa Taquechel, sete bailarinos interagem de modo a descobrirem, durante a performance, que a diferença de cada um se dá no outro. 

O Setembro Azul, que, apesar de ser uma programação própria do Itaú Cultural, segue em parceria com o Sem Barreiras, começa às 14h da quarta-feira, dia 18, com o debate Arte e surdez: produção de artistas surdos, com a multiartista Fernanda Machado, o grafiteiro Odrus e a poeta e atriz Catharine Moreira. Eles apresentam seus trabalhos artísticos, ressaltando os desafios e as oportunidades do caminho da arte para um artista surdo no Brasil. 

Em paralelo, no mesmo horário, Conversas sobre Surdez, o educador do Itaú Cultural, Edinho Santos, percorre os espaços do instituto convidando o público para uma conversa aberta sobre a condição de não ouvinte. Esta intervenção acontece todos os dias dentro desta programação, em diferentes horários (veja abaixo). Finalizando o segundo dia do Setembro Azul, o ator Igor Rocha apresenta as trapalhadas do Palhaço Surddy, na Sala Multiuso. Na sequência, o artista bate um papo com o público sobre seu processo criativo.

A quinta-feira, é iniciada com Conversas sobre Surdez, às 17h, e, novamente às 19h30. Em seguida, o músico Paulo Neto lança o novo vídeo clipe, Casa Caiada, coreografado e interpretado na Língua Brasileira de Sinais (Libras) e realiza um debate sobre o seu processo de criação neste trabalho, destacando os possíveis horizontes sobre a acessibilidade da música para a população surda. Ao final, Neto ainda faz um pocket show com as canções do seu disco autoral Rosário de Balas, acompanhado por Guilherme Kafé, na guitarra e violão, e Thomas Rohrer, na rabeca e flauta.

A ideia para a produção de Casa Caiada surgiu a partir do contato que o cantor teve com a acessibilidade, na estreia do seu show Rosário de Balas na Sala Itaú Cultural. Naquela noite, a intérprete de Libras, Elaine Sampaio, impressionou o músico com a tradução poética que ela fez de suas canções ativando a sua memória afetiva de infância. Neto cresceu com uma prima surda, que, na época, não usava a língua de sinais, eles criaram então, gestos e expressões para se comunicarem. Elaine atua no clipe e assina a tradução em Libras da música com o coreógrafo Fabiano Nunes. 

Este projeto nasceu o seu desejo de criar um clipe que pudesse levar ao espectador uma experiência mais imersiva e poética e com o intuito de instigar os ouvintes a se interessarem pela Libras, segunda língua oficial do Brasil, e de oferecer ao público surdo em que sua comunicação é privilegiada

A sexta-feira é também iniciada com Conversas sobre Surdez, às 15h, que se repete às 18h. Na sequência, às 16h, o debate Literatura Surda, com o poeta e professor Cláudio Mourão, o educador e poeta Edinho Santos e a pesquisadora e professora Lodenir Karnopp, com mediação da intérprete de Libras Erika Mota, aborda a escrita literária surda pelos pontos de vista da literatura infantil, da poesia de rua e da discussão acadêmica.

Na trilha da trocas de ideias, outro debate é realizado na Sala Vermelha do instituto, às 20h. Diferenças na surdez: a comunicação de surdos oralizados e surdos que usam Libras tem como convidados a pesquisadora acadêmica Sylvia Lia, a professora universitária Ana Regina Campello, e a contadora Mara Maria Knob, que traz sua experiência pessoal para conversar sobre as diferenças entre as estratégias de comunicação e os recursos de acessibilidade usados pelos surdos que usam Libras e os oralizados.

Entrando no fim de semana, no sábado, o Conversas sobre Surdez acontece às 14h. Uma hora depois, entra em cena o espetáculo O Feio, voltado para as crianças e seus acompanhantes –com reapresentação no domingo, e no fim de semana seguinte, dias 28 e 29, sempre no mesmo horário. Dirigida por Cintia Alves e Leonardo Castilho, a peça é construída a partir do ponto de vista de pessoas surdas e cegas em uma pesquisa de linguagem que buscou a comunicação com esses dois públicos sem mediação. Esta encenação venceu o Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e foi eleita como o terceiro melhor espetáculo infantil do ano pelo Guia da Folha.  Ainda no sábado, às 16h, Fábio de Sá ministra a oficina Arte Visual em Libras – Visual Vernacular que explora experimentações entre linguagem e imagem. As inscrições para esta atividade, que continua no domingo, já foram encerradas.

Finalizando a programação do Setembro Azul deste ano, no domingo, Conversas sobre Surdez acontece às 11h e às 14h. Ao meio dia, a contação de história do grupo êBA tem a proposta de unir a cultura surda à popular. Eles narram Histórias de Bumbá para as crianças e adultos no piso térreo do instituto. No enredo, com muita dança, brincadeiras e música, é compartilhada a trajetória de Catarina e Francisco, em busca de reviver o Bumba meu Boi, levando aos presentes pelas riquezas da cultura maranhense e do nordeste brasileiro. Neste mesmo dia ainda é realizada a performance o Som e o Silêncio, com três entradas, às 14h, 15h e 16h. Ela integra a programação do Arte na Rua, apresentada sempre aos domingos na calçada em frente ao instituto para o público passante da Avenida Paulista fechada aos carros. Na intervenção, a companhia Arte Raiz promove uma reflexão e empatia, com uma abordagem sensível demonstrando como se dá a comunicação, bem como as barreiras geradas pela falta dela. 

SERVIÇO
Dia 17 (terça-feira)

Em parceria com a Prefeitura de São Paulo

Às 18h
Lançamento do aplicativo Vem Ca

Abertura do Sem Barreiras – Festival de Acessibilidade e Artistas com Deficiência, em parceria com a Prefeitura de São Paulo
Gratuito

Às 20h
Nas Vizinhanças de Renata

Local: Sala Itaú Cultural
Duração: 60 minutos
Capacidade: 224 lugares
Classificação Indicativa: livre
Distribuição de ingressos: uma hora antes do início
Essa atividade contará com interpretação em Libras e estenotipia

PROGRAMAÇÃO ITAÚ CULTURAL

De 18 a 22 de setembro (quarta-feira a domingo)

Conversas sobre surdez
Dia 18 (quarta-feira), às 14h e 17h30
Dia 19 (quinta-feira) às 17h
Dia 20 (sexta-feira) às 15h e 18h
Dia 21 (sábado) às 14h
Dia 22 (domingo) às 11h e 14h
Local: Piso Paulista
Capacidade: livre
Duração: 60 minutos cada

Dia 18 de setembro (quarta-feira)
Às 14h
Debate - Arte e Surdez - Produções de Artistas Surdos

Local: Sala Multiuso
Duração: 90 minutos
Capacidade: 70 lugares
Classificação Indicativa: livre
Distribuição de ingressos: uma hora antes do início
Essa atividade contará com interpretação em Libras e estenotipia

Às 20h
Apresentação do Palhaço Surddy, seguida de bate papo com Igor Rocha
Local: Sala Multiuso
Duração: 90 minutos
Capacidade: 70 lugares
Classificação Indicativa: livre
Distribuição de ingressos: uma hora antes do início
Essa atividade contará com interpretação em Libras e estenotipia

Dia 19 de setembro (quinta-feira)

Às 20h

Lançamento do vídeo clipe Casa Caiada seguido de bate papo sobre música e surdez
Local: Sala Itaú Cultural

Duração: 120 minutos

Capacidade: 224 lugares

Classificação Indicativa: livre

Distribuição de ingressos: uma hora antes do início

Essa atividade contará com interpretação em Libras e estenotipia

Dia 20 de setembro (sexta-feira)
Às 16h

Debate - Literatura Surda
Local: Sala Vermelha

Duração: 90 minutos

Capacidade: 70 lugares

Classificação Indicativa: livre

Distribuição de ingressos: uma hora antes do início

Essa atividade contará com interpretação em Libras e estenotipia

Às 20h
Debate - Diferenças na surdez: a comunicação de surdos oralizados e surdos que usam libras

Local: Sala Vermelha
Duração: 90 minutos
Capacidade: 70 lugares
Classificação Indicativa: livre
Distribuição de ingressos: uma hora antes do início
Essa atividade contará com interpretação em Libras e estenotipia

Dias 21 e 22 (sábado e domingo)
Às 15h 
O Feio

Com reapresentação nos dias 28 e 29 de setembro
Local: Sala multiuso
Duração: 50 minutos
Capacidade: 70 lugares
Classificação Indicativa: Livre
Distribuição de ingressos: uma hora antes do início

Às 16h 

Oficina – Arte Visual em Libras – Visual Vernacular
Local: Espaço Educativo (primeiro subsolo)

Duração: 240 minutos

Capacidade: 20 vagas (inscrições encerradas)

Classificação Indicativa: Livre 

Dia 22 de setembro (domingo)

Às 14h, 15h e 16h
Som e Silencio
– com a companhia Arte Raiz
Local: calçada em frente ao Itaú Cultural
Duração: 25 minutos
Capacidade: livre
Classificação Indicativa: livre

Comente aqui