Data: 25/09/2020 13:54 / Autor: Daniel Dias / Fonte: AutoMotrix

Honda WR-V - Por um lugar ao Sol

A Honda apresenta a linha 2021 do SUV compacto WR-V, com novo design, equipamentos inéditos e uma nova versão de entrada, a LX


Novo Honda WR-V
Novo Honda WR-V

Crédito: Divulgação

No embalo do aumento da demanda por utilitários esportivos, em especial a dos compactos, a Honda apresentou o WR-V no Salão do Automóvel de São Paulo de 2016 e deu início à produção no ano seguinte. Posicionado pela marca oriental entre o monovolume Fit e o HR-V, o WR-V sempre ficou meio que deslocado de qualquer segmento específico. Agora, a Honda coloca no mercado a linha 2021 do compacto com um design mais ousado, equipamentos inéditos e aprimoramentos em segurança em todas as versões, além de lançar uma nova configuração de entrada, a LX. O WR-V foi o primeiro modelo desenvolvido pela Honda totalmente no Brasil e, atualmente, é produzido em Itirapina (SP). Prevista para chegar às concessionárias em outubro, a linha 2021 do WR-V começa com a nova LX com preço de R$ 83.400, segue na EX a R$ 90.300 e chega à “top” EXL a R$ 94.700.

Em todas as versões, o WR-V é equipado com o motor 1.5 i-VTEC FlexOne com 116 cavalos de potência a 6 mil rotações por minuto e 15,3 kgfm de torque a 4.800 giros, associado à transmissão CVT com conversor de torque. Nas configurações EX e EXL, o SUV traz “paddles shifts” localizados atrás do volante para trocas sequenciais comandadas pelo motorista. A linha 2021 marca a introdução de aprimoramentos na segurança, com a adoção dos controles de estabilidade e tração, do assistente de partida em aclive, do alerta de frenagem emergencial e do sensor crepuscular para acendimento automático dos faróis. Além dos obrigatórios airbags frontais e freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD), o WR-V traz estrutura de deformação progressiva ACETM (Advanced Compatibility Engineering) e das barras de proteção nas portas em todas as versões como equipamento de série. A EX oferece ainda os airbags laterais, enquanto a EXL conta com seis airbags, com a adição dos laterais do tipo cortina.

 O conjunto dinâmico do WR-V foi projetado para permitir altura do solo (20,7 centímetros) e ângulos de ataque (o da frente, com 21 graus) e de saída (o de trás, com 30,1 graus) compatíveis com a proposta de um SUV, sem comprometer o conforto e a agilidade de um modelo compacto. A suspensão exclusiva adota amortecedores com batente hidráulico e haste do amortecedor reforçada, barra estabilizadora robusta, projetada para reduzir a rolagem da carroceria, garantindo estabilidade mesmo com uma altura do solo mais elevada. O eixo traseiro tem seu desenvolvimento baseado no do HR-V e traz alta rigidez para o aumento do conforto e da dirigibilidade, conforme a engrenharia da Honda. A caixa de direção EPS (Electric Power Steering) é eletricamente assistida, desenvolvida especificamente para o WR-V, permitindo um raio de manobra de 5,3 metros.

Na dianteira, o WR-V traz uma nova grade, com desenho horizontal e área cromada mais estreita, valorizando o logotipo da Honda ao centro. O visual é complementado pelas novidades em iluminação. Os faróis (na EX e na EXL) recebem design renovado e tecnologia de led, que amplia a luminosidade e reforça o visual frontal do modelo. Os faróis de neblina, em todas as versões, ganharam uma nova moldura, com lâmpadas em leds na EX e na EXL. Todas as configurações trazem luzes diurnas de circulação também em leds. Na traseira, o modelo tem um novo para-choque – com 6,7 centímetros a mais no comprimento –, novas lanternas (com estilo das do Civic) que reforçam as linhas do SUV, sendo em leds na EX e na EXL. O friso superior da placa, antes cromado, agora segue a cor da carroceria. Para completar as novidades no design externo, o SUV tem rodas de 16 polegadas, com um novo acabamento escurecido (nas versões EX e EXL) e uma nova cor para a carroceria, o Azul Cósmico Metálico.

No interior, segundo a Honda, o WR-V conta com bancos com revestimentos de alta qualidade. As versões LX e EX, equipadas com bancos em tecido, recebem uma nova padronagem em relevo, enquanto a EXL, que tem revestimento em couro, tem novas costuras na cor preta. O painel ganhou atualizações pontuais nas cores aplicadas, com a utilização de friso do volante e molduras do painel em black piano, com detalhes cromados. Tomando como referência a versatilidade dos produtos da Honda, o WR-V traz de série uma das grandes inovações da marca: o sistema de bancos Magic Seat, que permite diversas configurações de assentos e a acomodação de objetos de grandes dimensões no interior do veículo, como uma prancha de surfe. A ergonomia do modelo é complementada com a adoção de regulagem de altura e profundidade do volante e ajuste de altura do banco do motorista.

Na lista de equipamentos, desde a configuração de entrada, o WR-V tem ar-condicionado, direção assistida eletricamente, vidros elétricos nas quatro portas, retrovisores elétricos com setas integradas, sistema de áudio com conexão Bluetooth, câmera de ré integrada e tapetes em carpete. A EX tem ar-condicionado digital e automático “touchscreen” e central multimídia também sensível ao toque de 7 polegadas, com conectividade com os sistemas Apple CarPlay e Android Auto, apoio de braço no console central, painel bluemeter (iluminação azul com computador de bordo multifuncional), volante revestido em couro, controle de cruzeiro, sensores de estacionamento traseiros e sistema de áudio com dois tweeters adicionais aos quatro alto-falantes. A EXL acrescenta à EX os bancos revestidos em couro, o navegador GPS integrado ao sistema multimídia, os retrovisores eletricamente rebatíveis, os sensores de estacionamento dianteiros e o espelho interno fotocrômico.

O WR-V foi reconhecido com o selo “Melhor Valor de Revenda 2020”, na categoria SUV compacto, em estudo feito pela Kelley Blue Book Brasil, empresa de pesquisas especializada na avaliação de automóveis. O estudo indica os modelos que menos desvalorizaram no ano passado. O utilitário esportivo da Honda alcançou a melhor marca em sua categoria, com 26%. O conceito de depreciação adotado no estudo calcula o valor residual do veículo, ou seja, o quanto o modelo custava em uma data específica no passado e o seu valor no presente. No mercado de zero-quilômetro, o WR-V teve oitocentas e sessenta e seis unidades vendidas em agosto e 5.458 no acumulado do ano. Entre os SUVs, o carro da Honda ocupa a décima segunda posição. O líder do segmento é o Volkswagen T-Cross, com 37.260 emplacamentos de janeiro a agosto. O “irmão” mais famoso da Honda, o HR-V, está em sétimo lugar, com 18.222 unidades vendidas no ano.

Comente aqui