Data: 24/10/2020 16:07 / Autor: Redação ABCdoABC / Fonte: Estadão Conteúdo/Agência Brasil

Grande São Paulo tem alerta para temporal e ventos fortes neste sábado

Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas prevê pancadas de chuva com descargas elétricas. Em Minas, o Inmet solicita atenção redobrada em barragens


Crédito: Climatempo

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta para potencial chuva forte e ventos intensos na tarde deste sábado, 24, na Grande São Paulo. O risco se estende até o fim da noite.

Na capital, a previsão do Inmet é de muitas nuvens com pancadas de chuva e trovoadas isoladas. Além da região metropolitana, áreas como Campinas, Ribeirão Preto, Bauru, Sorocaba e Presidente Prudente podem ser afetadas. O instituto prevê um volume de chuva entre 20 e 30 mm/h, com ventos de 40 a 60 km/h.

Em nota divulgada às 14h54 deste sábado, o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas da Prefeitura de São Paulo (CGE) prevê tempo instável com pancadas de chuva, sobretudo entre o fim da tarde e a noite.

O CGE adverte que podem ocorrer pontos de maior intensidade, com descargas elétricas e rajadas de vento. A situação climática aumenta o risco de alagamentos e queda de árvores. A chuva deve voltar no domingo, 25, e o solo encharcado liga o alerta para possíveis deslizamentos de terra.

Atenção redobrada em barragens de MG

Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), em conjunto com o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) e o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) distribuíram um alerta informando que entre hoje (24), principalmente no período da tarde, e a prõxima segunda-feira (26), há possibilidade de chuva forte, em volumes que podem atingir 100 milímetros (mm) em 24 horas no centro-leste de Minas Gerais, incluindo Belo Horizonte. A previsão também vale para o estado de Espírito Santo e para o sul da Bahia.

Em função desses prováveis acumulados pluviométricos, é alta a possibilidade de ocorrência de deslizamentos de terra pontuais, assim como de eventos hidrológicos rápidos, como alagamentos de ruas ou transbordamentos de pequenos córregos nessas regiões. Estas chuvas fortes poderão vir acompanhadas de rajadas de vento e eventual queda de granizo.

Devido ao alerta do Inmet, a Agência Nacional de Mineração (ANM) distribuiu um comunicado pedindo que os donos de barragens em Minas Gerais redobrem a atenção e o monitoramento das estruturas neste final de semana.

A ANM pede ainda “que sejam observados em especial o estado de conservação – além de manter atenção especial às tomadas d’agua dos vertedouros, para garantir a capacidade vertente de acordo com o projeto, durante todo o período de chuvas”. O estado possui três barragens em nível de emergência 3, considerado o mais alto.

A nota diz ainda que “em caso de qualquer situação de anormalidade, o Plano de Ação de Emergência para Barragens de Mineração deverá ser acionado e o Sistema Integrado de Gestão de Segurança de Barragens tem que ser imediatamente informado.”

Sistema de ciclones

O alerta do Inmet informa ainda que durante o final de semana, haverá também a formação de um sistema ciclônico sobre o Oceano Atlântico ao Sudeste dos estados de Rio de Janeiro e Espírito Santo que, de acordo com Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), poderá deixar o mar agitado, com ondas, em alto-mar, com altura de até 4 metros.

O comunicado alerta que entre amanhã (25) e segunda-feira, (26), um sistema frontal associado ao aprofundamento de uma área de baixa pressão atingirá o Rio Grande do Sul, Argentina e Uruguai e vai criar condições para a ocorrência de chuvas fortes e/ou tempestades localizadas com provável queda de granizo sobre o estado gaúcho. As chuvas fortes poderão ser acompanhadas de rajadas de vento da ordem de 80 km/h em algumas áreas.

O Inmet analisa que “este sistema terá rápido deslocamento sobre o Rio Grande do Sul e ainda na segunda-feira haverá possibilidade de os temporais com queda de granizo atingirem também os estados de Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, o oeste e sul de São Paulo.”

Crédito: Tomaz Silva/Agência Brasil

Comente aqui