Data: 10/04/2021 15:20 / Autor: Redação / Fonte: Governo de São Paulo

Governo de SP inicia vacinação de profissionais da educação

Meta do Estado é vacinar 350 mil trabalhadores com 47 anos ou mais e que atuam em unidades públicas e particulares de ensino infantil e básico


Crédito: Governo do Estado de São Paulo

O Governador João Doria, junto com o Secretário da Educação Rossieli Soares, acompanhou neste sábado (10) o início da vacinação de 350 mil profissionais da educação a partir de 47 anos de idade contra a COVID-19. A primeira dose foi aplicada na merendeira Silmara Cristina Silva de Moraes, na Escola Raul Brasil, na cidade de Suzano. O ato também marcou a reabertura da unidade, que passou por uma grande reforma em 2020.

"O primeiro Estado a iniciar a imunização de professores e trabalhadores do ensino foi o Estado de São Paulo. Foi uma decisão corajosa, mas bem planejada. A partir de hoje, 350 mil profissionais de Educação serão vacinados em São Paulo e começamos exatamente aqui, em Suzano, na Raul Brasil", afirmou o Governador.

A Raul Brasil e as demais escolas da rede estadual poderão voltar a receber os alunos que optarem pela participação de atividades presenciais facultativas a partir da próxima quarta (14).

"A merendeira Silmara Moraes foi a primeira servidora da Educação a ser vacinada. No fatídico episódio em 2019 aqui na Raul Brasil, Silmara acolheu vários alunos na cozinha no momento do tiroteio, salvando a vida deles. Não posso conter minha felicidade e emoção por este início da imunização dos profissionais da educação", afirmou Rossieli.

A primeira fase da vacinação nas escolas atende a profissionais que atuam desde creches até o ensino médio em qualquer unidade pública ou particular dos 645 municípios de São Paulo. A medida visa garantir mais segurança para o retorno das atividades presenciais.

A partir da idade mínima de 47 anos na etapa inicial, a campanha vai imunizar secretários, auxiliares de serviços gerais, faxineiras, mediadores, merendeiras, monitores, cuidadores, diretores, vice-diretores, professores de todos os ciclos da educação básica, professores coordenadores pedagógicos, além de professores temporários.

Para ser vacinado, cada profissional precisa apresentar o comprovante VacinaJá Educação, além de RG e CPF para conferência dos dados. Se a pessoa não apresentar o comprovante VacinaJá Educação ou o número de CPF não constar na documentação, ela não poderá receber a vacina até regularizar o cadastro.

Até este sábado, foram cadastrados 519.208 profissionais. Destes, 264.353 foram validados para a imunização.

O formulário de cadastro está disponível no site vacinaja.sp.gov.br/educacao e deve ser preenchido com número do CPF, nome completo e e-mail. Um link será enviado ao e-mail indicado, e a validação é obrigatória para conclusão do cadastro.

É extremamente importante que o profissional verifique se a mensagem com o link foi recebida normalmente na caixa de entrada ou então transferida automaticamente para a pasta de lixo eletrônico. Se a mensagem estiver na pasta de itens indesejados, basta transferi-la para a de itens principais.

No passo seguinte, o profissional deve confirmar dados pessoais e apontar nome da escola em que atua, rede de ensino, município e cargo que ocupa. Para evitar fraudes, o sistema também exige envio dos contracheques dos meses de fevereiro e março deste ano.

Quando o cadastro é validado, o profissional recebe por e-mail o comprovante VacinaJá Educação. O documento tem um QR Code para verificação de autenticidade. Para quem não receber o e-mail, a opção é entrar no site com o número do CPF e imprimir o comprovante.

Comente aqui