Data: 14/07/2020 18:52 / Autor: Redação / Fonte: Secretaria de Habitação

Governo de SP começa testagem de Covid em comunidade vulnerável da zona leste

Projeto piloto começou a aplicar 3,5 mil testes rápidos na Vila Jacuí


Crédito: Divulgação

O Programa de Testagem e Combate à Covid, criado pela Secretaria de Estado da Habitação em parceria com o Instituto Butantan e a Prefeitura de São Paulo voltado a atender áreas de alta vulnerabilidade social, começou nesta terça-feira (14), com a aplicação de 3.593 testes rápidos em moradores do bairro União de Vila Nova, que fica no distrito da Vila Jacuí, na zona leste da Capital. A aplicação dos testes continua nesta quarta-feira (15).

O secretário de Estado da Habitação, Flavio Amary, e o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, acompanharam o início da testagem no Viveiro do Projeto Pantanal, na rua Papiro do Egito, 100 -B - União de Vila Nova, um dos quatro locais definidos para receber a população selecionada para passar pelo exame. Os atendimentos ocorrem em horários agendados entre 9h e 17h para evitar aglomerações. Também esteve presente o secretário executivo da Habitação e coordenador do programa de testagem, Fernando Marangoni.

Quem tiver o diagnóstico positivo, será submetido ao PCR, para contraprova, entre os dias 16 e 17 de julho. Os moradores infectados pelo coronavírus serão encaminhados para a UBS da região e monitorados.

A identificação da área foi feita pelo Mapa de Comportamento da Covid-19, uma ferramenta de georreferenciamento criada pela Secretaria da Habitação, a partir do cruzamento de dados socioeconômicos, epidemiológicos e territoriais para orientação e planejamento do programa de testagem. O objetivo do governo do Estado é expandir o programa para outras áreas vulneráveis da capital e do interior em conjunto com as prefeituras.

"Essa é a primeira etapa do processo de testagem que estamos começando hoje pela Vila Jacuí. Mas o objetivo é expandir na sequência o programa para outras áreas vulneráveis da capital e do Estado com alta incidência de morte pelo novo coronavírus, já identificadas pelo Mapa de Comportamento da Covid-19", explicou o secretário Flavio Amary.

Uma equipe multidisciplinar, com cerca de 100 pessoas, entre profissionais das secretarias de Saúde e Habitação, municipais e estaduais, do Instituto Butantan, além de técnicos sociais da CDHU realizaram o trabalho de conscientização e seleção dos moradores que passam pelo exame na União de Vila Nova.

A União de Vila Nova faz parte do Projeto Pantanal, desenvolvido pela CDHU, que abrange uma área de 980 mil m², onde foram atendidas mais de 8 mil famílias. Destas famílias, 3 mil foram reassentadas em novos empreendimentos e 5,3 mil foram beneficiadas com obras de urbanização. Paralelamente às obras, desde o início a Companhia realiza um trabalho técnico social permanente, formando agentes comunitários e promovendo cursos de capacitação profissional e projetos ambientais e de sustentabilidade da comunidade visando desenvolvimento do potencial crítico dos moradores.

Para iniciar o programa, a capital paulista foi escolhida por concentrar o maior número de pessoas em situação de vulnerabilidade social e vivendo em moradias precárias - cortiços, loteamentos irregulares e comunidades.

Mapa de Comportamento da Covid-19 - A Secretaria de Estado da Habitação compilou e cruzou dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), da Fundação Seade, da secretaria de Desenvolvimento Urbano da Prefeitura de São Paulo, da CDHU e das secretarias de Saúde do Estado e dos municípios, para criar o Mapa de Comportamento da Covid-19. A ferramenta tem georreferenciados, além de dados epidemiológicos, com foco em óbitos e internações pela Covid-19, mais de 30 mil equipamentos públicos, municipais e estaduais. Contempla ainda assentamentos precários como cortiços, comunidades e loteamentos irregulares. O Mapa tem precisão de 99% e capacidade para delimitar residências e equipamentos num raio de 1 km quadrado.

O Mapa de Comportamento da Covid-19 é referência para aplicação em diversos programas e finalidades. Com o uso da ferramenta, a Secretaria da Pessoa com Deficiência do Estado conseguiu identificar os distritos da capital com maior quantidade de pessoas com deficiência em situação de alta vulnerabilidade social. Para essas cerca de 7,7 mil pessoas, a secretaria distribuirá kits com cestas básicas e de higiene pessoal.

Comente aqui