Data: 06/08/2020 17:07 / Autor: Redação ABCdoABC / Fonte: Estadão Conteúdo

Governo Doria decide esperar pedido de afastamento de secretário preso pela PF

Diante da prisão do secretário estadual dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, hoje, 6, o governo Doria (PSDB) decidiu aguardar que Baldy tome a iniciativa de se afastar do cargo


Alexandre Baldy, Secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, que está preso,  deve pedir afastamento do cargo
Alexandre Baldy, Secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, que está preso, deve pedir afastamento do cargo

Crédito: Tânia Rego/Agência Brasil

Isso deve ocorrer tão logo seja possível, segundo auxiliares do governador no Palácio dos Bandeirantes. Baldy deverá comunicar o afastamento com o argumento de que irá se concentrar em sua defesa, e deixará o cargo para seu secretário executivo, Paulo José Galli.

A saída de Baldy a partir de um pedido do próprio secretário é a forma como a equipe de Doria pretende afastar o governador do desgaste da prisão de seu auxiliar direto sem causar atritos com o Progressistas, atual partido de Baldy.

A prisão de um secretário de governo durante exercício do mandato é fato inédito em São Paulo e ocorre duas semanas após Doria ter de repercutir os indiciamentos de José Serra e Geraldo Alckmin, seus dois antecessores eleitos para o cargo, todos do PSDB.

Com Baldy ainda detido na sede da Polícia Federal de São Paulo, na Lapa, zona oeste, os detalhes burocráticos sobre o como seu pedido de afastamento será formalizado ainda não foram decididos.

O argumento de um afastamento para cuidar da defesa é o mesmo que Doria usou em dezembro de 2018, quando ele havia indicado o ex-ministro e ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (PSD) para a pasta da Casa Civil. Kassab não exerce o cargo, mas seu nome ainda é publicado todos os dias no Diário Oficial do Estado como titular da pasta.

Comente aqui