Data: 12/12/2019 10:51 / Autor: Redação / Fonte: Sehal

Festas de fim de ano são apostas de restaurantes no ABC

Sehal estima aumento de 10% no movimento dos estabelecimentos em relação ao ano passado


Crédito: Raquel Toth

Os bares e restaurantes do Grande ABC já abriram a temporada de festas, marcada pelas famosas confraternizações e happy hours. Para o Sehal (Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação do Grande ABC), a expectativa é a de que o movimento nos estabelecimentos da região aumente cerca de 10% neste ano em relação ao mesmo período do ano passado.

Para atender ao crescimento da demanda, os estabelecimentos costumam trabalhar com pacotes promocionais programados para estas ocasiões com variados tipos de cardápio e bebidas.

“O brasileiro gosta dessas confraternizações mais despojadas, de reunir os amigos em volta da mesa para celebrar os bons momentos, para o ano que está terminando e o que vai começar. Aqui na nossa região temos opções de gastronomia para todos os gostos e com qualidade e por isso há muita procura nessa época, seja por empresas, famílias ou amigos”, explica Beto Moreira, presidente do Sehal.

Trabalho - Junto com esse movimento cresce também a contratação de temporários. “Esse desempenho reflete positivamente no desenvolvimento econômico na nossa região, já que o setor também contrata mais pessoas para o período, o que acaba gerando emprego e renda”, acrescenta Beto Moreira.

A advogada do Sehal, Denize Tonelotto, explica que nesta época ocorrem as contratações temporárias em função do período sazonal, por ser mais curto. “Essa modalidade é boa para o patrão porque dá a chance a ele de treinar um funcionário que pode ser efetivado. E nós, de fato, torcemos, para que isso se torne realidade, pois seria um sinal de melhora e recuperação na economia”, explica.

De acordo com a especialista, os empresários devem ter o cuidado com a contratação de trabalhadores eventuais ou free lancer para que não configure vínculo de emprego. Denize explica que não pode haver habitualidade desses profissionais “Porque se, por acaso, essa pessoa prestar serviços todos os dias, futuramente pode mover uma ação trabalhista, tornando a contratação indigesta”, alerta.

Dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estima que a oferta de vagas temporárias para o Natal de 2019 será a maior em seis anos. Segundo projeção da entidade, serão contratados 91 mil trabalhadores temporários neste fim de ano para atender ao aumento sazonal das vendas. O número é 4% maior do que o registrado em 2018 (87,5 mil). O Natal é a principal data comemorativa do varejo e deve movimentar R$ 35,9 bilhões em 2019.

Comente aqui