Data: 23/05/2022 13:38 - Alterado em: 24/05/2022 11:04 / Autor: Redação / Fonte: Itaú Cultural

Fabiana Cozza faz primeira apresentação presencial de seu mais recente álbum Dos Santos

Em quatro apresentações na Sala Itaú Cultural, a cantora mostra seu oitavo disco de trabalho e primeiro com composição autoral


Fabiana Cozza apresenta Dos Santos
Fabiana Cozza apresenta Dos Santos

Crédito: José de Holanda

De 26 a 29 de maio (quinta-feira a sábado às 20h, domingo às 19h), a cantora, intérprete, pesquisadora e compositora, Fabiana Cozza, volta presencialmente em curta temporada na Sala Itaú Cultural. Para esta série de quatro apresentações, ela traz o repertório integral de Dos Santos, seu oitavo e mais recente álbum, de 2020. Com direção musical de Fi Maróstica e embalada pela ancestralidade negra, ela evoca a resistência desse povo e dá voz à sua fé e luta. Até agora apresentado apenas de modo virtual, finalmente a cantora mostra este trabalho em contato direto com o público.

Os ingressos estão disponíveis na plataforma INTI, sendo necessário apresentar o QR Code do bilhete na entrada. O show da sexta-feira, 27, tem transmissão simultânea para todo o Brasil em www.youtube.com/itaucultural.

“Este álbum ganhou mais importância diante da fragilidade da democracia brasileira”, diz Fabiana, para quem as músicas fazem uma defesa política e cidadã de uma cultura matricial. “Um lugar de berço daquilo que foi produzido e estruturado no Brasil e que tem sido vilipendiado e atacado pelo atual governo”, conclui ela.

Entre as 17 músicas que compõem o repertório do show, com Dos Santos, um dos destaques é Manhã de Obá, primeira composição de Fabiana feita em parceria com Ceumar e dedicada à orixá guerreira das águas. Vale destacar, também, o momento em que a cantora recita Oxalá Um Dia, texto de Tiganá Santana, embalada pelos vocais do cantor africano, nascido na Guiné Bissau, Mû Mbana. Cânticos para Iemanjá, música de domínio popular, abre alas para Canto pra Xangô – mais uma composição de domínio púbico, interpretado em idioma africano. 

Quando Fabiana solta a voz em Filhas de Iemanjá, de Vidal Assis, evoca mulheres negras resistentes como as contemporâneas brasileiras Marielle Franco, Elza Soares, Dona Ivone Lara e a pianista, cantora, compositora e ativista pelos direitos civis dos negros norte-americanos, Nina Simone, além de Dandara dos Palmares, do século XVII entre outras divindades negras.

Compõem a setlist deste álbum dedicado ao sagrado ancestral afro-brasileiro, ainda, Bravum de Elegbara (Moyseis Marques / Luiz Antonio Simas), Ogã de Ogum (Moyseis Marques / Luiz Antonio Simas), Oração a Ossain (Pedro Luís / Carlos Rennó), Doce Oxum (Gisele De Santi), Orin Mimo (Sandra Simões), Batucadinho (Everson Pessoa / Nei Lopes), Senhora Negra (Sérgio Pererê); Dona das Folhas (Roque Ferreira); Kabiecilê (Luciana Rabello / Paulo César Pinheiro), Caboclaria (Alfredo Del-Penho / Luiz Antonio Simas), Agradecer e Abraçar (Gerônimo / Vevé Calazans)

SERVIÇO:

Fabiana Cozza apresenta Dos Santos

De 26 a 29 de maio (quinta-feira a sábado, às 20, e domingo, às 19h) 

Sala Itaú Cultural

Capacidade: 224 lugares 

Entrada gratuita

Ingressos: estão disponíveis na plataforma INTI, sendo necessário apresentar o QR Code do ingresso na entrada da atividade.

Dia 27 de maio

Apresentação transmitida simultaneamente em www.youtube.com/itaucultural

Classificação: livre

Comente aqui