Data: 04/05/2021 10:13 / Autor: Redação / Fonte: PNUMA

Evento discute segurança das barragens brasileiras

Parceria entre Governo Britânico e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) reúne setor de mineração para debater o novo Padrão Global da Indústria para Gestão de Rejeitos


Em 19 de maio acontece o debate “Monitoramento de Barragens sob a ótica do GISTM – desafios e oportunidades no Brasil”. O evento conta com apoio do Governo Britânico no Brasil, por meio do Ministério do Comércio Internacional, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e colocará grandes nomes do mercado, da academia e do setor público para tratar sobre um tema decisivo para o futuro da mineração e do meio ambiente: a segurança das barragens brasileiras.

O evento é a primeira entrega de um Memorando de Entendimento (MoU) entre o Governo Britânico e o PNUMA, assinado em 27 de abril. O MoU estabelece a parceria para promoção de mesas redondas virtuais para o diálogo com entes do governo, da indústria, da academia e da sociedade civil sobre as oportunidades e desafios para a implementação do Padrão Global da Indústria para Gestão de Rejeitos (GISTM), facilitando a comunicação contínua entre todas as partes. O Governo Britânico e o PNUMA trabalham o tema em conjunto com o Comitê Técnico de Barragens de Mineração (CTBMin), liderado pela Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do Ministério de Minas e Energia (SGM-MME), em reuniões temáticas específicas sobre o GISTM.

“O objetivo dessa mesa redonda é trazer nomes de diferentes setores da sociedade para discutir os impactos do novo Padrão Global da Indústria para a Gestão de Rejeitos. Queremos mostrar quais as mudanças que ele propõe para as empresas de mineração e quais são os desafios para a implantação dele no Brasil, principalmente nos estados que já lidam com barragens de rejeito em estado crítico, como Minas Gerais, Bahia, Goiás e Pará”, explica Nathalia Gomide, Gerente de Desenvolvimento de Negócios do Governo Britânico do Reino Unido e especialista em mineração.

O evento está marcado para 19 de maio, às 14h00, e terá duração de duas horas. Ele faz parte de uma série de mesas redondas virtuais, nas quais especialistas vão detalhar como esse novo padrão global de gerenciamento impacta os processos da mineração, a economia e o meio ambiente colocando em pauta o que já tem sido feito no Brasil e também quais são os futuros desafios. Neste primeiro encontro, o diálogo abordará o monitoramento de barragens, além das novas tecnologias e soluções que se enquadram nas mais recentes recomendações da Organização das Nações Unidas. Entre os convidados estão IBRAM, CONFEA, a consultoria britânica Wood e membros do comitê técnico que elaborou o Padrão. Para quem quiser acompanhar o fórum, inscrições serão abertas em breve e anunciadas nas redes sociais do Governo Britânico no Brasil – UK in Brazil.

O que significa um novo padrão para barragens

O Global Industry Standard on Tailings Management ou Padrão Global da Indústria para Gestão de Rejeitos foi criado em 2020 e estabelece um novo marco para a segurança das barragens como o primeiro modelo global do setor. O projeto saiu por meio de uma parceria do PNUMA, International Council for Mining and Metals (ICMM), e Principle for Responsible Investment (PRI), grupo de investidores que inclui o Fundo de Pensão da Igreja Anglicana do Reino Unido (Church of England), depois do deslizamento da barragem de Brumadinho em 2019.

Um dos principais objetivos é reforçar a fiscalização e aumentar a transparência, com auditorias e inspeções realizadas de forma independente. O novo padrão global está em sintonia com os esforços do Governo Britânico que, junto da Igreja Anglicana do Reino Unido, busca soluções para uma mineração mais segura e responsável em todo o mundo

Sobre o Governo Britânico no Brasil

O Ministério de Comércio Internacional (Department of International Trade – DIT) tem como missão o apoio à exportação, o fomento ao investimento interno e estrangeiro, a promoção do acesso a mercados e de acordos comerciais e a defesa do livre comércio.

Atuamos na área econômica internacional e somos responsáveis por:

•  apoiar e incentivar empresas do Reino Unido a buscar o crescimento internacional sustentável

• manter o posicionamento do Reino Unido como um dos principais destinos de investimento estrangeiro e sua liderança em investimentos internacionais no mercado de capitais europeu

• abrir novos mercados e promover o comércio livre e justo com parceiros novos e existentes

• por meio do comércio e do investimento, concretizar a visão do governo para uma Grã-Bretanha Global e suas ambições de prosperidade, estabilidade e segurança em âmbito mundial.

Comente aqui