Data: 26/07/2021 16:28 / Autor: Redação / Fonte: Itaú Cultural

Espetáculo (In)justiça estreia na programação do Itaú Cultural

Companhia de Teatro Heliópolis em (In)justiça, faz um ensaio cênico que reflete sobre aspectos do sistema jurídico brasileiro


Itaú Cultural estreia temporadas do Palco Virtual para adultos  no YouTube com a peça (In)justiça, da Companhia de Teatro Heliópolis
Itaú Cultural estreia temporadas do Palco Virtual para adultos no YouTube com a peça (In)justiça, da Companhia de Teatro Heliópolis

Crédito: Rick Barneschi

O Itaú Cultural exibe de 2 a 22 de agosto (segunda-feira a domingo), em seu canal no YouTube www.youtube.com/itaucultural, (In)justiça, espetáculo da Companhia de Teatro Heliópolis, com direção de Miguel Rocha. A peça estreia novo formato da programação Palco Virtual do Itaú Cultural, que além de receber montagens mais atuais em exibições únicas via Zoom, agora disponibiliza no YouTube temporadas de 21 dias (sempre de segunda-feira a domingo), com registros audiovisuais de espetáculos, ampliando tanto a programação para o público quanto a luz à produção cênica.

A indagação “o que os veredictos não revelam?” conduz a Companhia de Teatro Heliópolis em (In)justiça, ensaio cênico que reflete sobre aspectos do sistema jurídico brasileiro. O fio condutor da trama é a história de Cerol, um jovem que pratica um crime involuntariamente. A ação dá início a diversas análises sobre o que é justiça, seja a praticada pelo judiciário ou a que a sociedade sentencia.

A montagem, iniciada em 2018 e estreada em 2019 após um processo de criação colaborativo, conta de forma não-linear a trajetória de Cerol – um exímio empinador de pipas –, que foi criado pela avó após a mãe morrer no parto e do pai ser assassinado. Certo dia, depois de uma briga na vizinhança, o jovem dispara, sem intenção, um tiro em uma mulher, que morre, e é preso e submetido ao julgamento da lei e das pessoas.

Décima primeira montagem da Companhia de Teatro Heliópolis, (In)justiça passou por um ano de estreia marcado por premiações e reconhecimentos. Foi indicada ao Prêmio Shell 2019 na categoria Música, ao Prêmio Aplauso Brasil 2019 na categoria Melhor Espetáculo de Grupo e foi eleito um dos melhores espetáculos do ano pelo Guia da Folha e do Estadão.

Das premiações recebidas durante a participação em festivais estão a de Melhor Espetáculo, Melhor Atriz e Prêmio Especial Melhor Trilha Sonora no 41º Festival Nacional de Teatro Pindamonhangaba, e de Melhor Atriz, Melhor Ator, Ator Coadjuvante e Melhor Figurino no 4º Festival Nacional Teatro do Kaos, no qual também foi indicado nas categorias de Melhor Trilha Sonora e Melhor Iluminação. No mesmo ano, foi selecionado ainda para o 34º Festival Nacional de Teatro do Vale do Paraíba, para a 12ª Mostra Cultural da Cooperifa e o 14º Festival Nacional de Teatro de Piracicaba. Em 2020, esteve nos internacionais Brasil Cena Aberta e CICLO - Circuito de artes e Conceitos de Londrina, além de participar da Virada Cultural de São Paulo.

O grupo

A Companhia de Teatro Heliópolis surgiu no ano 2000, com o objetivo de montar o espetáculo A Queda para o Alto, baseado no romance homônimo de Sandra Mara Herzer. Hoje, com mais de 20 anos de trajetória, tem 11 espetáculos montados, sempre em diálogo com anseios e vivências da realidade de Heliópolis.

Quatro anos depois da estreia com A Queda Para o Alto, montou Coração de Vidro e, em 2007, Os Meninos do Brasil. Entre 2008 e 2009, deu início ao Projeto Arte e Cidadania em Heliópolis, patrocinado pela Petrobras, originando três espetáculos premiados: O Dia em que Túlio Descobriu a África (2009), Nordeste/Heliópolis/Brasil – Primeiro Ato (2011) e Um Lugar ao Sol (2013).

Em 2015, a companhia foi contemplada pela 25ª edição do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo com o projeto Onde o Percurso Começa? Princípios de Identidade e Alteridade no Campo da Educação, que resultou na montagem A Inocência do Que Eu (Não) Sei. No ano seguinte, estreou o espetáculo Medo, inspirado nos ataques do PCC em São Paulo em 2006, abordando a violência subliminar. No mesmo ano, levou aos palcos Sutil Violento, e em 2019, (In)justiça, a mais recente peça.

Em 2020, em meio à pandemia, foi contemplada, entre outros, no 35º Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo. O projeto aborda a temática Cárcere – Aprisionamento em Massa e seus Desdobramentos.

Desde 2010 Companhia de Teatro Heliópolis tem sua sede instalada na Casa de Teatro Maria José de Carvalho, imóvel cedido pela Secretaria Estadual de Cultura e situado no Ipiranga, bairro vizinho. O espaço é um Ponto de Cultura e já abrigou duas edições da Mostra de Teatro Heliópolis, com um panorama dos espetáculos criados por grupos periféricos que desenvolvem suas atividades em comunidades populares da cidade.

SERVIÇO:?

Palco Virtual adulto no YouTube

(In)justiça, da Companhia de Teatro Heliópolis

De 2 a 22 de agosto (segunda-feira a domingo)

No YouTube do Itaú Cultural:?www.youtube.com/itaucultural

Duração: 70 minutos

Classificação indicativa: 14 anos

Comente aqui