Data: 02/12/2019 19:19 / Autor: Redação / Fonte: Braskem

Empreendedoras Braskem: transformando vidas

Conheça a rede de apoio às mulheres empreendedoras que proporciona crescimento pessoal e profissional, por meio de um trabalho de capacitação que leva a novos horizontes


Empreendedoras Braskem: transformando vidas

A mulher traz dentro de si a criação e a transformação, duas características intimamente ligadas à expansão da vida. Por se conectar com o fato de as mulheres serem esses agentes de mudança que a Braskem criou o projeto Empreendedoras Braskem, uma das ações dentre as várias implementadas pela companhia com a finalidade de melhorar a vida daqueles que moram nas regiões onde a companhia mantém suas unidades. O projeto acontece no Grande ABC (SP) e na cidade de Duque de Caxias (RJ).

 O objetivo do Empreendedoras Braskem é proporcionar às mulheres que queiram empreender ou que já empreendem, formal ou informalmente, capacitação com o intuito de crescerem pessoal e profissionalmente. Para esse projeto, a Braskem firmou parceria com a Rede Mulher Empreendedora (RME), entidade idealizada em 2010 por Ana Lúcia Fontes, considerada pela revista Forbes como uma das 20 mulheres mais poderosas do Brasil em 2019.   Ana fala sobre a parceria firmada com a Braskem: “Nesse encontro, vimos a oportunidade de agregar o conhecimento da Rede Mulher Empreendedora com o da Braskem, empresa que tem a motivação e responsabilidade focadas no desenvolvimento social. A intenção é transmitirmos conhecimentos e experiências para essas mulheres que vivem no entorno da empresa e que querem transformar suas vidas para melhor. Para isso, tratamos de temas como liderança, vendas, marketing digital, planejamento estratégico e gestão de negócios”.

Cabe lembrar que a RME é a primeira e a maior plataforma de apoio ao empreendedorismo feminino no País, que surgiu com o propósito de abrir novos horizontes às mulheres que buscam, por meio de ações empreendedoras, a independência econômica e autonomia sobre seus negócios e suas vidas. O Empreendedoras Braskem impacta positivamente sobre a comunidade ao promover esse desenvolvimento local, com geração e aumento da renda.

A Rede Mulher Empreendedora lançou recentemente a quarta edição de uma pesquisa, realizada em parceria com a ONU Mulheres e a Plano CDE, que traça o perfil da mulher empreendedora no Brasil. No documento deste ano, os resultados compararam características de homens e mulheres na hora de empreender. Os dados comprovaram que a maioria das mulheres começa a empreender após os 30 anos, 59% são casadas e 52% têm filhos, e para 38% das mulheres entrevistadas, o empreendimento é a renda principal da família.

Ainda segundo o documento, as mulheres empreendem, principalmente, em busca de flexibilidade de horário para passar mais tempo com suas famílias. A pesquisa demonstrou ainda que o empreendedorismo é uma importante ferramenta de transformação profissional, econômica, social e pessoal na vida das mulheres. Segundo a idealizadora da RME, integram a rede cerca de 550 mil mulheres empreendedoras, de vários perfis, desde as que fazem bolos em suas casas para vender até aquelas cujos negócios já faturam cerca de R$ 5 milhões por ano. “Para cada uma dessas mulheres, o ‘dar certo’ pode variar, mas o sucesso da RME tem de ser sempre medido pelo sucesso das empreendedoras que a integram”, acentua Ana.

Dentre as 40 participantes da primeira edição do Empreendedoras Braskem, realizada neste ano, uma das mulheres que se destacaram foi Rayanne de Souza Ouriques, de 23 anos, proprietária da Brigadeiros Ouriques. Ela conta que antes de participar do treinamento, suas vendas apenas pagavam as contas, e não sobrava mais dinheiro. Contudo, após se envolver com o programa, nos eventos como Mentoring Day e Café com Empreendedoras, conseguiu criar um planejamento financeiro para viabilizar seu sonho, comprando uma máquina para auxiliar na produção, além de um food truck para expandir seu negócio. “Meu marido até deixou o emprego que tinha para vir me ajudar com a venda dos brigadeiros. O empreendimento se tornou o negócio da família, nossa principal fonte de renda”, frisa Rayanne.

 A Braskem aposta nesse e em outros projetos sociais porque acredita no poder transformador das pessoas, na pluralidade e no potencial que cada tem ao se sentir valorizado e como isto é capaz de modificar a realidade do seu entorno. Merece destaque o comprometimento da companhia com as questões relacionadas ao empoderamento feminino, bem como, outras ações voltadas para o fortalecimento e respeito às minorias. Tudo isso integra o programa da Braskem Diversidade & Inclusão, com iniciativas voltadas para a integração e o fortalecimento de grupos historicamente minorizados: mulheres, LGBTQIA+, negros, pessoas com vulnerabilidade social e pessoas com deficiência. Esses grupos criados na companhia têm como propósito valorizar a diversidade e destacar a importância do protagonismo feminino.

Crédito: Divulgação

Comente aqui