Data: 17/09/2020 21:32 / Autor: Redação / Fonte: Consórcio Intermunicipal Grande ABC

Consórcio ABC lança campanha de prevenção ao suicídio

Entidade regional divulga materiais e vídeos informativos em suas redes sociais para apoiar campanha nacional Setembro Amarelo


Crédito: Divulgação

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio é a segunda causa de morte de jovens de 15 a 29 anos no mundo. Com o objetivo de reduzir os números e prevenir o suicídio no país, a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM) criou o Setembro Amarelo, dedicando o mês ao assunto. 

Em apoio à iniciativa, o Consórcio Intermunicipal Grande ABC lançou uma campanha digital, por conta da pandemia da Covid-19, com a divulgação de materiais e vídeos informativos sobre a temática em suas redes sociais. 

A iniciativa internacional é considerada uma importante ferramenta de diálogo sobre saúde mental e tem como intuito promover ações de conscientização sobre fatores de risco a comportamentos suicidas.

Para Patrícia Moretti, integrante dos Grupos de Trabalhos (GTs) Pessoa com Deficiência e LGBT do Consórcio ABC e voluntária do Centro de Valorização da Vida (CVV) , os gestores públicos devem estar engajados com a campanha para que se possa formar uma enorme rede de promoção da vida e prevenção ao suicídio no país. Além disso, ela destacou ainda que o assunto precisa estar em pauta ao longo de todo o ano. 

“É importante ressaltar que essa temática não deve se ater ao mês de setembro, durante a campanha, e sim durante todo ano por meio de planos municipais específicos e intersetoriais valorizando a vida, a saúde mental e emocional da população, construindo assim uma sociedade fraterna, solidária e compreensiva”, afirmou Patrícia Moretti .

O presidente do Consórcio ABC e prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão, ressaltou a necessidade de ampliar a discussão sobre o assunto na sociedade. 

“O Setembro Amarelo é uma oportunidade para ampliarmos a conscientização sobre comportamentos de risco e facilitar medidas de prevenção ao suicídio, derrubando tabus e mitos sobre esse tema. Falar sobre o assunto é uma forma de reduzir o estigma que existe em torno do suicídio e ajudarmos as pessoas a identificarem comportamentos de risco e atuarem na prevenção”, concluiu Maranhão.

Comente aqui