Data: 12/06/2019 08:57 / Autor: Edmundo Dantas / Fonte: Agência AutoMotrix

Citroën atualiza a van Jumper - Carga de história

Como parte das comemorações de seu centenário, a Citroën atualiza a van Jumper na Europa


Para comemorar seu centenário, Citroën atualiza a van Jumper
Para comemorar seu centenário, Citroën atualiza a van Jumper

Crédito: Divulgação

Desde que foi criada, no dia 4 de junho 1919, a Citroën conquistou uma popularidade que extrapolou as fronteiras francesas – no ano passado, vendeu 1,05 milhão de unidades em mais de oitenta países. Dentro de seus cem anos de história, a marca acumula mais de nove décadas de experiência em veículos comerciais leves. Desde 1928, lançou alguns modelos pioneiros no transporte de cargas urbanas, como o C4 Van, o Tipe H e o 2 CV Van. Com uma reconhecida experiência entre as vans, não foi por acaso que a Citroën decidiu incluir, como parte das comemorações de seu centenário, uma atualização da Jumper, que chega agora ao mercado europeu.

 A Jumper tem como alvo uma ampla gama de profissionais, de comerciantes independentes à construção, entregas e serviços. Na versão de carga, agora são quatro comprimentos de carroceria em três distâncias de entre-eixos (três metros, 3,45 metros e 4,04 metros) e com três alturas possíveis. Um total de oito estilos de carroceria, variando de 8 m3 para 17 m3 para a van. Já na versão Combi, de passageiros, a capacidade varia de cinco a nove assentos.

Em termos de equipamentos, mais novidades. A linha Jumper agora está equipada com o sistema de monitorização de ponto cego e o alerta de tráfego traseiro – que detecta veículos a cinquenta metros de distância, vindos da esquerda ou da direita, quando os condutores se movem de ré. Também vem de série com o Connect Box, um sistema que inclui monitorização do consumo de combustível, rastreio do veículo em caso de roubo e dicas de condução ecológica, bem como um sistema de navegação com uma tela de nove polegadas compatível com o Waze e um Bluetooth que permite conexão simultânea para dois telefones.

A gama da van ganhou duas novas versões, que já haviam sido lançadas nos modelos menores Berlingo e Jumpy. A versão Worker é voltada para clientes com condições de trabalho exigentes envolvendo terrenos difíceis, tais como locais de construção. Reconhecível por meio de seus arcos de roda pretos e placa de proteção sub-motor, também tem melhor aderência com o sistema de controle inteligente de tração combinado com pneus para todas as estações e Hill Assist Control. O conforto da cabine vem de itens como ar-condicionado frontal, sistema de áudio com um kit mãos-livres, Bluetooth e uma tomada USB, função de controle de cruzeiro/limitador de velocidade e até um tablet de escrita montado no tablier. Já a versão Driver tem foco nos clientes com longas jornadas em áreas urbanas e oferece equipamentos de conforto que incluem uma câmara de ré e um pacote de segurança, com monitoramento de ponto cego e alerta de tráfego traseiro. O conforto é reforçado pelos seguintes equipamentos: tomada de carregamento USB, faróis de neblina, câmara de ré, sistema de navegação, sistema de aviso de mudança da faixa, luzes de cruzamento automáticas, faróis inteligentes, limpador dianteiro automático e sistema de reconhecimento de sinais de velocidade.

Sob o capô, o novo motor 2.2L BlueHDi substitui o 2.0L. Está disponível com uma caixa manual de 6 velocidades e em três níveis de potência, que variam de 120 a 165 cavalos: BlueHDi 120, BlueHDi 140 e BlueHDi 165. Para viabilizar circulação urbana independentemente dos regulamentos locais, a Citroën já confirmou o lançamento nos próximos meses de uma versão elétrica da Jumper van, revelada no último Birmingham Commercial Vehicle Show, realizada no final de abril, na Inglaterra. Fabricada na Itália e eletrificada e certificada pela BD Auto, a Jumper Electric complementará toda a faixa elétrica para profissionais ao lado da Berlingo Electric. A confirmação do lançamento reafirma a ambição da marca de comercializar uma versão elétrica de cada um dos seus modelos até 2025, dos carros de passageiros aos comerciais leves.

Comente aqui