Data: 04/12/2021 14:06 / Autor: Redação / Fonte: Cia. Mundu Rodá

Cia. Mundu Rodá celebra 20 anos com mostra de repertório presencial em sua sede em SP

Os espetáculos “Memórias da Rabeca”, “Donzela Guerreira” e o infantil “Vida de cão, coração de herói” serão apresentados na Casa Mundu Rodá e haverá bate-papos com histórias da trajetória


Memórias da Rabeca
Memórias da Rabeca

Crédito: Gravação Temporal Filmes

Na próxima semana, a Cia. Mundu Rodá abre sua sede, a Casa Mundu Rodá, que fica na Rua Southey, 106, Ipiranga, São Paulo-SP, para celebrar vinte anos de história com uma mostra de repertório. 

Respeitando os protocolos de segurança, o grupo promove apresentações presenciais de três espetáculos diferentes com ingressos gratuitos, que poderão ser reservados por email  munduroda20anos@gmail.com, além de bate-papos sobre experiências criativas traçadas ao longo das andanças pelos rincões do Brasil e no mundo. De 10 a 12, as apresentações serão com tradução em Libras. 

Nos dias 09 e 10 de dezembro (quinta e sexta-feira), às 20:00, o grupo apresenta “Memórias da Rabeca”, espetáculo solo executado pelo artista Alício Amaral que traz à tona histórias e personagens à margem da sociedade através de memórias guardadas por sete rabecas.

Inspirado na obra de poetas e rabequeiros como Cego Oliveira, Cego Aderaldo e Cego Sinfrônio, Seu Nelson (AL) e Fabião das Queimadas (1848-1928), o espetáculo é fruto de uma pesquisa artística e histórica sobre rabequeiros que marcaram a música e a poesia no Brasil. O grupo realizou intercâmbios com rabequeiros da Cultura Caiçara, Quilombola e Indígena do Litoral Paulista, além da pesquisa de campo continuada com rabequeiros de Pernambuco, Alagoas e Rio Grande do Norte.

No dia 11 de dezembro (sábado), às 20:00, é a vez do espetáculo “Donzela Guerreira”, que conta a história de uma jovem que se disfarça de homem para seguir em combate no lugar do pai, mas acaba se apaixonando por seu Capitão. Uma personagem presente em muitas culturas e civilizações, não apenas na literatura dita como oficial (Mu-lan, Electra, Diadorim), mas também na de cordel (Teodora), em romances de tradição oral (Don Varão, Maria Gomes), na mitologia (Palas Atena, Iansã), na História (Joana D’Arc, Maria Quitéria, Santa Dica) e na música erudita (Il combattimento di Tancredi e Clorinda – Monteverdi). 

O espetáculo não só representa a vida de uma donzela que vai à guerra, mas propõe uma reflexão sobre o gênero e sobre o amor, em uma abordagem ampla e aberta, convidando o espectador a participar ativamente na construção da narrativa, preenchendo as lacunas e criando sua própria interpretação. 

Encerrando a Mostra, no dia 12 de dezembro (domingo), às 16:00, o espetáculo infantil “Vida de cão, coração de herói” conta a saga de um cãozinho corajoso que ao sobreviver ao rompimento da barragem na região de Mariana-MG, sai em busca de sua família, navegando entre surpresas e aprendizados.

Com leveza e poesia, o espetáculo conta a história de um cãozinho vira-lata que em seu “barco” improvisado, o Titanica, se aventura pela lama que cobriu sua casa e toda sua vizinhança para procurar sua família, da qual ele acabou se perdendo durante a fuga. Nessa grande e inusitada jornada, o cão chega ao Rio Doce, onde conhece vários personagens que irão tentar ajudá-lo a alcançar o seu objetivo. 

A história é baseada no rompimento de uma das barragens da mineradora Samarco, localizada no município de Mariana-MG, em 05 novembro de 2015. Um dos maiores desastres ambientais ocorridos no mundo, que além de devastar a comunidade rural de Bento Rodrigues com uma avalanche de rejeitos de minérios de ferro, produziu uma lama tóxica soterrou plantas, animais e toda vida aquática por onde passava, chegando até a foz do Rio Doce, invadindo o mar na cidade de Regência, no Espírito Santo.

Com músicas, animações e um cenário marcante, em “Vida de cão, coração de herói” a Cia. Mundu Rodá mergulha no universo infantil e convida crianças e famílias a refletirem sobre o meio ambiente e a importância do cuidado com a natureza, em uma história de superação, coragem e esperança.

Com vinte anos de estrada, a Cia Mundu Rodá (SP), fundada por Juliana Pardo e Alício Amaral, vem construindo uma linguagem cênica própria a partir da observação, do contato e do diálogo com as Danças Tradicionais Brasileiras e o Trabalho do Ator/Músico/Bailarino.

Ministrando aulas, oficinas, preparações e com nove espetáculos no repertório: Donzela Guerreira (2007); Sambada de Reis (2005); Estrada (2010); Memórias da Rabeca (2017); Show Rabeca Primeira Sonora (2018); Figuras Inesperadas (2018); Vida de Cão, Coração de Herói (2019); Arigós -Bandeira, Espinha-de-Peixe, Cara-de-Gato (2020), Ecos das Margens (2021), o grupo já viajou para os rincões do Brasil e para países como China, Dinamarca, França, Inglaterra, República Tcheca, Itália e Portugal. 

As ações fazem parte do projeto Mundu Rodá 20 anos: Criação e Pedagogia - Uma História Vivida com as Artes Cênicas nicas Brasileiras contemplado no Edital Proac Expresso Lei Aldir Blanc 47/2020

Mais informações em:  www.munduroda.com / Facebook: Mundu Rodá / Instagram: @munduroda

SERVIÇO: Mostra II de Repertório Cia. Mundu Rodá 20 anos

Temporada: 09 a 12 de dezembro de 2021

Onde: Casa Mundu Rodá - Endereço: Rua Southey, 106, Ipiranga, São Paulo - SP, 04276-080

Capacidade: 20 lugares -  Reserva de ingressos por e-mail: munduroda20anos@gmail.com

Acessibilidade: Tradução simultânea em Libras nas apresentações dos dias 10, 11 e 12 de dezembro

Bate-Papo: após cada apresentação haverá um bate papo do público com a Cia. Mundu Rodá

Classificação Livre - Grátis

Programação: 

Quando: 09 e 10 de dezembro de 2021 (quinta e sexta-feira) - Horário: 20:00

Espetáculo: “Memórias da Rabeca”

Sinopse: Espetáculo-solo que revela memórias guardadas por sete rabecas, trazendo à luz histórias e personagens à margem da sociedade. Memórias que ecoam e atravessam os tempos e seus guardiões - os rabequeiros brasileiros - colocando em foco dinâmicas das relações entre o humano e a rabeca. Um convite para o encontro com a multiplicidade do universo da rabeca. A rabeca torna-se a voz, os pés e as mãos do ator que a toca, e o ator torna-se a vibração de suas cordas e sua música. Duração: 60 minutos

Acessibilidade: Tradução simultânea em Libras na apresentação do dia 10 de dezembro

Quando: 11 de dezembro de 2021 (sábado) - Horário: 20:00 

Espetáculo: “Donzela Guerreira”

Sinopse: Amor impossível, revelação tardia e saudade incomensurável. Uma jovem que se disfarça de homem para seguir em combate no lugar de seu velho pai, representando o único filho varão da família e, já como soldado, se apaixona por seu Capitão e este por ela. Sem revelar sua verdadeira identidade, Donzela e Capitão travam suas próprias batalhas, colocando à prova seus princípios, sentimentos e desejos. Duração: 60 minutos

Acessibilidade: Tradução simultânea em Libras

Quando: 12 de dezembro de 2021 (domingo) - Horário: 16:00 

Espetáculo: “Vida de cão, coração de herói”

Sinopse: O rio que era Doce, azedou… Pense num cachorro manso, brincalhão, que adorava sua dona e que vivia num vilarejo bonito e tranquilo. Pensou?!?! Agora, pense numa onda gigante de lama tóxica inundando esse povoado e deixando o bichinho sozinho. Deu ruim, né? É assim que começa essa estória. Sem sinais de resgate, o esperto vira-lata decide embarcar numa poltrona toda destruída e navegar pelo Rio Doce em busca da sua família da espécie “gente”: uma viagem pelo leito contaminado repleta de surpresas, emoção e aprendizagem. Até onde vai essa aventura enlameada? Duração: 60 minutos

Acessibilidade: Tradução simultânea em Libras


Vida de Cão
Vida de Cão

Crédito: Ricardo Avellar

Comente aqui