Data: 04/06/2020 16:25 / Autor: Redação / Fonte: Artesp

Centrovias encerra atividades e divulga balanço das operações realizadas

Desde 1998 à frente do lote 8 do Programa de Concessões Rodoviárias do Governo do Estado de SP, concessionária entrega administração das rodovias Washington Luís e SP-225 para a Eixo-SP


imagem ilustrativa
imagem ilustrativa

Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Desde às 0h00 desta quinta-feira (4), o trecho de 216,8 quilômetros de estradas, que contempla as rodovias Washington Luís e SP-225, no interior paulista, deixou de ser administrado pela concessionária Centrovias e passou a integrar a nova concessão que abrange o corredor rodoviário Piracicaba-Panorama (PiPa), da Eixo-SP, sob a fiscalização da Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo).

Em 22 anos de administração, a Centrovias colaborou com o desenvolvimento econômico dos 12 municípios do entorno de sua malha viária, sendo o trecho da SP-310 (Washington Luís) de Cordeirópolis a São Carlos; e a SP-225 (Engenheiro Paulo Nilo Romano) de Itirapina a Jaú e a SP-225 (Comandante João Ribeiro de Barros) de Jaú a Bauru.

"Temos certeza que o ciclo foi fechado com um saldo muito positivo, principalmente por beneficiar diretamente o usuário que utiliza as rodovias do trecho", destaca a diretora geral interina, Renata Dantas. "Vamos agora iniciar uma nova etapa, novos desafios que possibilitarão grandes conquistas sempre prezando pelo conforto e segurança viária."

Durante a transição, a Centrovias atuou para garantir a empregabilidade de seus colaboradores, possibilitando a transferência de cerca de 80% do quadro de funcionários para outras concessionárias do seu Grupo ou para a realocação em acordo com a Eixo-SP.

Balanço de ações

Durante o período sob administração da Centrovias, foram investidos R? 3,7 bilhões em obras, tais como a duplicação de 144 quilômetros da SP-225, de Itirapina a Bauru, obras de reformulação da Ponte Sobre o Rio Tietê, da hidrovia Tietê-Paraná e a reformulação do trevo da entrada do município de Jaú. Além disso, houve a construção de vias marginais, 22 novas passarelas, obras de melhoria em pontes e viadutos, readequação de dispositivos de acesso e retorno, como o trevo de ligação das rodovias SP-310 e a SP-225, em Itirapina, por exemplo. Ao final da concessão, a Centrovias deixa a marca de 55% de redução de acidentes com vítimas fatais.

Para além da rodovia, a empresa desenvolveu projetos junto às cidades lindeiras, como o Projeto Escola Arteris, quando capacitou 3.235 educadores e atendeu mais de 53 mil alunos de escolas públicas com investimento na humanização do trânsito. Campanhas de conscientização com pedestres, ciclistas, motociclistas, motoristas e caminhoneiros. Além disso, foram repassadas às prefeituras mais de R? 386 milhões via ISSQN (imposto sobre serviço de qualquer natureza), destinados à construção de escolas, hospitais ou outras melhorias a cargo do poder executivo em cada localidade.

Nova concessão

O trecho até então administrado pela Centrovias integrará o corredor rodoviário PiPa, que vai de Piracicaba, na região de Campinas, até Panorama, no extremo oeste do estado, e engloba 62 municípios totalizando 1.273 quilômetros de estradas. A nova concessão investirá ao longo do período contratual, de 30 anos, R? 14 bilhões, sendo que cerca de R? 1,5 bilhão aportados já nos dois primeiros anos.

Em toda a extensão do corredor rodoviário, o plano de modernização e obras inclui a construção de 600 quilômetros de duplicações e novas pistas (contornos urbanos). Também haverá faixas adicionais e vias marginais, obras que melhoram a fluidez, o escoamento da produção regional e a segurança viária. A concessão também prevê inovações do ponto de vista econômico, tecnológico e de segurança viária, como o Desconto de Usuário Frequente (DUF), modelo inédito no Brasil que irá beneficiar os motoristas que utilizam o trecho rodoviário com mais frequência. Haverá ainda desconto de 5% para os usuários do pagamento automático.

Comente aqui