Data: 06/12/2019 16:36 / Autor: Redação / Fonte: ABRAF

Campanha busca pacientes com doenças respiratórias para entrega de painéis solares

Objetivo é reduzir gastos com o consumo de eletricidade e contribuir com o meio-ambiente


Crédito: Depositphotos

Com um nome que já diz tudo, a campanha ‘Sol-Ar: sol para respirar’ vai transformar a vida de 10 famílias de pacientes de hipertensão pulmonar e de asma grave que dependem integralmente de equipamentos respiratórios para sobreviver. Criada pela ABRAF (Associação Brasileira de Apoio à Família com Hipertensão Pulmonar e Doenças Correlatas), a iniciativa inédita vai entregar kits com quatro placas fotovoltaicas que vão gerar energia solar limpa e totalmente sustentável, contribuindo diretamente na redução do custo financeiro gerado pelo uso excessivo dessas máquinas.

Apenas no Brasil, cerca de 60 mil pessoas sofrem de hipertensão pulmonar e mais de quatro milhões de asma grave. Ambas as doenças são crônicas, progressivas e podem ser fatais, resultando em 100 mil internações anuais, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde do IBGE, de 2013, e mais de 100 mortes por dia no País, de acordo com o DataSUS. Essas doenças limitam a rotina do paciente, com sintomas como falta de ar crônica e cansaço. Em muitos casos, é recomendado o uso de oxigenoterapia, técnica que utiliza equipamentos que produzem oxigênio suplementar, que é utilizado para atividades específicas como dormir e caminhar ou até mesmo por 24 horas, fazendo com que esses pacientes sejam totalmente dependentes desses aparelhos.

“Foi pensando nisso que desenvolvemos a campanha Sol-Ar. A ação desonera o paciente socioeconomicamente vulnerável do alto gasto financeiro com energia elétrica, reduzindo pelo menos 30% dessa despesa, e ainda garante a tranquilidade de não precisar se preocupar com uma eventual queda de energia elétrica, o que poderia apresentar riscos a sua vida”, explica Paula Menezes, presidente da ABRAF. Mediante análise socioeconômica e comprovação do aumento das contas de energia por conta das máquinas, a campanha vai beneficiar diretamente 50 pessoas, sendo 10 pacientes e 40 familiares, residentes nas cidades de São Paulo e São Bernardo do Campo.

A iniciativa também vai entregar um impacto socioambiental positivo. Além das famílias selecionadas, cerca de 190 mil habitantes das duas cidades serão beneficiados, uma vez que a energia solar e´ livre de geração de gases de efeito estufa, os principais responsáveis pelas mudanças climáticas. “O benefício direto às famílias eletrodependentes e a disseminação do excedente a` comunidade fazem parte da estratégia do projeto de firmar compromisso com os ‘Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)’ da ONU, aumentando o percentual da população com acesso primário a combustíveis e tecnologias limpos”, conta Paula. A campanha Sol-Ar é finalista do EyeforPharma Awards, premiação que reconhece as iniciativas com maior impacto social na área da saúde.

As inscrições para participar da iniciativa também já estão abertas. Os interessados podem acessar o link https://bit.ly/sol-ar para saber mais sobre as condições e realizar a inscrição.

Comente aqui