Data: 24/06/2019 09:21 / Autor: Rodilei Morais / Fonte: ABCdoABC

Black Mantra reúne BNegão e Black Alien para interpretações únicas de seus sucessos

Show fez parte do Ciclo 1906 realizado pela cervejaria Estrella Galicia celebrando sua data de criação


Black Mantra reúne BNegão e Black Alien para interpretações únicas de seus sucessos
Black Mantra reúne BNegão e Black Alien para interpretações únicas de seus sucessos

Crédito: Rodilei Morais/ABCdoABC

A banda Black Mantra convidou os músicos BNegão e Black Alien para uma apresentação única no Estrella Galicia Estação Rio Verde, na Vila Madalena, em São Paulo, na última quarta-feira (19). O show foi realizado pelo projeto Ciclo 1906, idealizado pela cervejaria que dá nome a casa. A data escolhida celebra o nascimento da cerveja originária de La Coruña, em território espanhol, no ano que dá nome ao espetáculo.

O espetáculo conduzido pelos membros da Black Mantra se iniciou já cheio de groove resgatando seu primeiro lançamento, “Tranca Rua”, de 2016. O repertório solo do grupo ainda contou com suas versões de “Umbabarauma”, de Jorge Ben, e “Soul Power”, de James Brown, finalizando com “Fossa Jazz”  antes de receber seus convidados.

Gustavo Black Alien já havia se apresentado em parceria com o octeto, na ocasião, interpretando o repertório dos dois primeiros álbuns do rapper de Niterói. Impulsionado agora pelo lançamento de “Abaixo de Zero: Hello Hell” e suas influências jazzísticas, o novo repertório cai como uma luva para a Black Mantra. De “Carta Para Amy” a “Take Ten”, com suas referências a John Coltrane e Dave Brubeck, o quarteto de metais faz jus aos nomes citados com inspiradas improvisações.

BNegão, por sua vez, vem fazendo apresentações com o Black Mantra cantando o repertório de Tim Maia nos discos “Racional”. Nessa noite, da particular fase de um dos maiores ícones da música brasileira, somente “No Caminho do Bem” esteve presente, abrindo assim espaço para os hits do próprio BNegão. Com músicas como “Essa É pra Tocar no Baile” e “Funk Até o Caroço”, o versátil cantor carioca fez a Estação Rio Verde ficar pequena para todo o agito. Seu set se encerrou com “A Verdadeira Dança do Patinho”, composição de 2003 e que segue atual falando de manipulação política e alienação.

O final do show reuniu no palco os dois cantores, ambos integrantes da banda Planet Hemp até o início dos anos 2000. O reencontro de Black Alien e BNegão aconteceu com a interpretação da música “Pra Cima”, do rapper paulistano Thaíde, que contou ainda com trechos de “Umaextrapunkumextrafunk”, do primeiro álbum solo de Gustavo. A combinação explosiva encerrou a noite deixando o público nas alturas, como sugere o próprio nome da canção executada.

A Black Mantra segue com sua inovadora série de apresentações tocando no próximo sábado (29) os maiores sucessos do lendário rapper Sabotage. Quem assume os vocais é a cantora Karol Conká, que desde o início de sua carreira já homenageia o Maestro do Canão. Além de citá-lo logo em seu primeiro single, lançado em 2011, ano passado a rapper ainda regravou a faixa “Cabeça de Nego” composta por Sabotage em parceria com o Instituto. Já a colaboração com BNegão interpretando Tim Maia tem duas sessões marcadas para o dia 02 de agosto na casa de jazz Blue Note em São Paulo.

Comente aqui