Data: 04/07/2022 17:13 / Autor: Andréa Brock / Fonte: ABCdoABC

Balanço da Brock – 04/07/2022

Aqui você encontra diversidade, democracia, política, eventos, economia, cultura, sociedade, miscigenação, bichos e muito mais. Tudo junto e misturado


Igreja perde um ícone 

Morreu hoje em São Paulo o cardeal Dom Cláudio Hummes, arcebispo emérito de São Paulo, aos 87 anos. A informação foi confirmada, em nota, pelo cardeal Dom Odilo Scherer, arcebispo de São Paulo.  Dom Cláudio lutava contra um câncer. 

Um dos maiores exemplos de luta na igreja católica pelas minorias, Dom Cláudio, em 1975, assumiu a diocese de Santo André e abriu as portas da igreja Matriz em São Bernardo do Campo para que os metalúrgicos grevistas liderados pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não fossem presos pela polícia. Naquele momento o país vivia em ditadura e a greve, que durou 41 dias, mobilizou 200 mil trabalhadores. Dom Cláudio se posicionou contra a demissão dos trabalhadores. 

Ele também trabalhou no Vaticano, ao lado do Papa Bento e era muito ligado à defesa das causas ambientais e dos indígenas. Em junho do ano passado, depois que Dom Cláudio recebeu um doutorado honoris causa da Universidade de Rosário, na Argentina, o Papa Francisco escreveu a ele. O Pontífice agradeceu pelo “exemplo que me deu durante a sua vida” e descreveu o amigo como um dos “líderes que têm a coragem de abrir trilhas, caminhos e de provocar sonhos: a coragem de continuar sempre olhando o horizonte sobre os problemas e dificuldades do caminho”. 

Uma perda irreparável para a igreja católica. Dom Cláudio partiu, mas ficam suas histórias de luta, de ensinamento e de coragem. Nossos profundos sentimentos aos familiares, amigos e fiéis que o acompanhavam.  

Deu show

Ela é iniciante na política, mas tem um discurso muito bem apresentado e esclarecedor na ponta da língua. Se posiciona de maneira forte e clara. Coordenou projetos e programas sociais importantes e criados de maneira inteligente na cidade de Santo André. Na televisão aparece constantemente no horário do Cidadania, o que dá a entender que o partido aposta no seu nome.  É esposa do prefeito de Santo André, Paulo Serra, mas não gosta de ser chamada de primeira-dama. “prefiro ser chamada pelo meu nome”. Ela é Ana Carolina Serra, entrevistada no Conversa Franca da última sexta-feira, que é apresentado por essa colunista e transmitido pelo Portal ABC do ABC. 

Bem preparada 

Articulada, Ana Carolina falou no Conversa Franca sobre o Moeda Verde, o Moeda Pet, Lojas Solidárias e Banco de Alimento, programas que fazem parte do governo municipal de Santo André criados por ela. O Banco de Alimentos, segundo Ana Carolina, já arrecadou mais de 200 toneladas de alimentos para as entidades da cidade. Outro assunto abordado por ela foi a causa animal. Simpatizante do tema, Ana Carolina sempre divulga em suas redes sociais ações do governo para a causa animal, tais como o Moeda Pet, as feiras de adoção e o hospital veterinário público que está sendo construído na cidade. 

Ana Carolina é advogada, professora universitária, mestre em Direito e Relações Sociais, primeira-dama de Santo André e pré-candidata a deputada estadual pelo Cidadania. Essa será a primeira vez que Ana Carolina irá concorrer a um cargo público.

Comente aqui