Data: 22/04/2013 19:59 / Autor: Redação / Fonte: Assessoria

Ana do Carmo apresenta indicação de Juizado Especial de Trânsito a presidente do TJ-SP

Ideia foi bem recebida pelo desembargador Ivan Sartori, durante encontro nesta segunda-feira (22); parlamentar apresentará a indicação à Assembleia Legislativa


Ana do Carmo visitou desembargador Ivan Sartori
Ana do Carmo visitou desembargador Ivan Sartori

A deputada estadual Ana do Carmo (PT) visitou nesta segunda-feira (22) o presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), o desembargador Ivan Sartori. Durante o encontro, Ana apresentou ao advogado uma indicação elaborada pelo mandato da deputada para a criação do Juizado Especial de Trânsito no Estado de São Paulo. O objetivo da iniciativa é dar agilidade em casos judiciais que envolvam conflitos no trânsito, “buscando sempre que possível a conciliação entre as partes”, conforme cita o texto da indicação.

“A gente considera uma ideia interessante e que vai conseguir beneficiar muita gente. Pode ajudar a resolver pequenos problemas com muito mais velocidade”, argumentou a deputada, ao desembargador. A proposta contou com boa recepção de Sartori

“Se (a indicação) for aprovada na Assembleia creio que podemos instalar no estado esses juizados. Vamos precisar ter regionais”, disse o presidente do TJ-SP. “É uma ótima ideia, que veio pelas mãos da deputada como reivindicação, mas que acaba sendo do nosso próprio interesse”, completou. A deputada colherá na próxima terça-feira (23) as assinaturas para oficializar a indicação junto ao Legislativo.

Mandato – além da indicação, a deputada Ana do Carmo apresentou ao presidente do TJ-SP alguns dos projetos que seu mandato possui em andamento. Entre eles, o projeto de lei 442/2007, que pedia a presença de psicólogos e assistentes sociais no Ensino Estadual, mas foi vetado em março pelo governador.

Sartori elogiou a iniciativa e afirmou que a mesma prática será adotada pelo Tribunal de Justiça paulista. “Dos cerca de 4 mil servidores que vamos admitir em breve, de 300 a 400 serão assistentes sociais e psicólogos. Há uma necessidade muito grande desses profissionais no apoio à família”, citou.

Comente aqui