Data: 01/07/2022 18:36 / Autor: Redação / Fonte: ARTESP

Alça de acesso de Itaquaquecetuba ao Rodoanel Leste é liberada ao tráfego

Trecho garante melhores condições de segurança, além de reduzir viagem para chegar ao anel viário


Crédito: Divulgação

O Governo do Estado de São Paulo liberou nesta sexta-feira (1/07) o trânsito pela alça de acesso no km 36 da Rodovia Ayrton Senna (SP 070) ao Rodoanel Mario Covas (SP-021) - Trecho Leste, em Itaquaquecetuba. O novo acesso reduz o tempo de viagem de quem pretende chegar ao Rodoanel, e, assim, proporciona maior fluidez e mais conforto aos usuários. As obras foram viabilizadas pelo Programa de Concessões Rodoviárias do Governo do Estado de São Paulo, sob fiscalização da ARTESP - Agência de Transporte do Estado de São Paulo.

“Depois de tanto tempo a alça está aberta e não tenho dúvidas de que mais empresas vão se instalar em Itaquaquecetuba por conta dessa obra”, destacou o governador.

Foram realizadas intervenções para melhorias do dispositivo com a implantação de equipamentos de segurança como barreiras rígidas para segregação do fluxo de veículos de longa distância, nova sinalização (com novas placas e pintura de faixas), com investimento de mais de R$ 2 milhões.

Durante os serviços, executados pela concessionária Ecopistas, foram gerados 45 novos postos de trabalho.  “Além disso, vai melhorar a segurança para mais 87 mil veículos que em média trafegam diariamente naquele trecho rodoviário. A ampliação proporcionará maior desenvolvimento ao município e região”, explica João Octaviano Machado Neto, secretário estadual de Logística e Transportes.

A partir de agora, para acessar o Rodoanel (SP-021) no trecho, o usuário pega a saída do km 36 e segue pela Rodovia Ayrton Senna até a altura do km 45, onde é realizado o retorno para o anel viário. A partir de agora, com a alça completamente readequada, o trajeto será reduzido em 18 quilômetros, visto que o motorista passará a acessar a via diretamente no km 36.

“Importante destacar que serão beneficiados também trabalhadores das indústrias locais, moradores da cidade e usuários do corredor logístico”, destaca Milton Persoli, diretor-geral da ARTESP.

Comente aqui