Data: 01/08/2017 16:30 - Alterado em: 15/08/2019 09:37 / Autor: Redação / Fonte: Braskem

“Geração de empregos” é a principal contribuição do Polo

Pesquisa do Datafolha apurou a importância do Polo Petroquímico do Grande ABC em pesquisa encomendada pela Braskem


A pesquisa do Instituto Datafolha, encomendada pela Braskem, uma das principais empresas da região do ABC, ouviu 882 moradores das cidades de Santo André e Mauá, entre os dias 7 e 11 de janeiro desse ano, para entender como a população local avalia a operação das indústrias que integram o Polo Petroquímico do Grande ABC. Entre a primeira edição da pesquisa, divulgada em 2017, e o novo levantamento, aumentou a percepção da população sobre a importância do Polo para geração de renda e arrecadação de impostos para os municípios.

A pesquisa apurou o impacto do Polo Petroquímico no setor econômico das duas cidades, o nível de conhecimento da população sobre as empresas que integram o Polo e a imagem que os moradores têm da Braskem, maior petroquímica das Américas e líder mundial na produção de biopolímeros, que está presente na região desde a década 1970, com quatro fábricas nos municípios de Mauá e Santo André.

“As empresas que atuam no Polo geram cerca de dez mil postos de trabalho, entre diretos e indiretos, para a produção de matérias-primas fundamentais para indústrias do Brasil inteiro e bens de consumo no setor de manufaturados, influenciando não só a economia local, mas também a nacional. Como Braskem, acreditamos que ouvir a população é fundamental para estruturarmos iniciativas que envolvem aspectos econômicos, sociais e ambientais”, explica Flávio Chantre, gerente de Relações Institucionais da companhia.

Quando perguntado sobre a importância do Polo Petroquímico para a sua cidade, em uma escala de 0 a 10, a maior parte (78%) dos moradores de Santo André deu notas entre 7 e 10, contra 68% dos moradores que deram as mesmas notas na primeira edição do levantamento. No caso da cidade de Mauá, 76% da população entrevistada concederam notas entre 7 e 10, índice maior que os 71% que classificaram o Polo com as mesmas notas em 2017.

A pesquisa do Datafolha traçou ainda aspectos positivos do Polo Petroquímico. Embora geração de renda e emprego tenha registrado queda na comparação com a última pesquisa nos dois municípios, pois tem relação direta com a economia do País, que segue em recuperação gradativa, a questão continua como principal fator para movimentação da economia para 61% dos moradores de Santo André (contra 70% em 2017) e para 59% da população entrevistada em Mauá (-4% em relação à edição passada).

Imagem da Braskem

A pesquisa do Datafolha deste ano também ouviu os moradores de Santo André e Mauá sobre a atuação da Braskem na região. Em Santo André, 85% dos moradores entrevistados concordam que a companhia gera empregos e renda para as famílias locais. Em Mauá, esse índice é de 75%. A Braskem ainda foi considerada uma empresa inovadora para 64% dos respondentes de Santo André e por 58% em Mauá. No levantamento, o índice de confiabilidade da companhia ficou em 62% em Santo André e 60% em Mauá.

Os projetos sociais da empresa, como o Formando Laços, programa de visitas criado para estreitar a relação entre a comunidade local e a companhia, e o Programa Braskem de Educação Ambiental, que em parceria com o Sesi leva capacitações sobre meio ambiente para instituições de ensino públicas da região, entre outras ações com foco em cultura, esporte e sustentabilidade, foram avaliados pelo estudo. Entre os moradores que vivem na região próxima à Braskem em Mauá, 62% afirmaram conhecerem projetos sociais da empresa. Em Santo André, também entre a comunidade vizinha à unidade industrial da Braskem, o índice é de 19%.

A pesquisa ouviu moradores acima de 16 anos de todos os níveis socioeconômicos. Para seleção dos ouvintes, foi feita uma distribuição por bairros considerados como entorno do Polo Petroquímico e demais regiões dos municípios.

Comente aqui