Data: 27/06/2013 09:30 / Autor: Robson Luiz Gisoldi / Fonte: Secom PSA

Santo André retoma operação de incubadora tecnológica

InNova abrigará, inicialmente, oito empresas que contam com soluções criativas para o mercado


Prefeito Carlos Grana destaca entusiasmo com retomada da InNova
Prefeito Carlos Grana destaca entusiasmo com retomada da InNova

Crédito: Diego Barros/PSA

Como forma de dinamizar a economia e incentivar o empreendedorismo na cidade, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Trabalho de Santo André se baseou no alicerce da tecnologia e da inovação para retomar a InNova, a Incubadora de Empresas de Base Tecnológica. O evento de lançamento aconteceu na noite desta quarta-feira (26) no CPTER (Centro Público de Trabalho, Emprego e Renda).

Inicialmente, serão oito pequenas empresas de diferentes setores da economia integradas ao projeto a partir de julho, por um período de um ano, prorrogável por mais um. “Pensando em dar mais agilidade ao processo seletivo, optamos por implantar uma nova metodologia de recepção de projetos, com um processo de seleção permanente. Isso significa que a direção da InNova receberá as propostas durante o ano e aqueles que possuírem condições técnicas serão avaliados pelo Conselho Consultivo para uma seleção. Se aprovados, passarão por um curso de pré-incubação que acontecerá duas vezes por ano”, explicou a vice-prefeita e secretária de Desenvolvimento Econômico do município, Oswana Fameli.

Caso não haja novas vagas no momento, aqueles que estiverem alinhados com o perfil de atuação da InNova farão parte de uma lista de espera, que será publicada no site da incubadora. Na medida em que as empresas forem graduadas ou descontinuadas, um novo projeto passará a ocupar o espaço deixado nas dependências da incubadora. "Vamos intensificar esforços e construir uma sólida relação com o setor de ensino técnico e universitário em busca de ideias que possam gerar novas empresas. Essa será nossa luta", destacou o gerente da InNova, Dioraí Leão da Costa.

O empresário Alexandre Meza, proprietário da Biotera, pretende atender as expectativas e anseios da sociedade com projetos voltados ao desenvolvimento sustentável. “É uma excelente oportunidade de integrar conhecimento com outras empresas. Além disso, minha meta é aumentar o faturamento em 15%”, afirmou.

ESTRUTURA - Para participar da InNova, é necessário que as empresas possuam uma base tecnológica em seu projeto, pois é o foco da iniciativa. As Incubadoras de Empresas de Base Tecnológica são empreendimentos que oferecem espaço físico por um determinado tempo para a instalação de empresas nascentes, oferecendo apoio para a consolidação dessas iniciativas. No Brasil existem 384 incubadoras, gerando mais de 16 mil postos de emprego. “Estamos reativando aquilo que acreditamos ser uma das molas propulsoras para alavancar a economia de nossa cidade”, afirmou Oswana.

Em todo o mundo, elas ganham força como importantes incentivadoras de novos projetos tecnológicos e funcionam como ferramentas que impulsionam o surgimento de novas empresas. “Para o sucesso da atividade, é fundamental a participação de vários atores sociais, dentre os quais destacamos as universidades e organizações empresariais, sem esquecer a presença do poder público. Neste sentido, já contamos com parceiros como a Agência de Desenvolvimento Econômico, Sebrae (Serviço de Apoio as Micro e Pequenas Empresas) e Anprotec (Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores). Vamos também constituir o Conselho Consultivo com a participação de universidades, empresas, sindicatos e entidades empresariais de nossa cidade”, destacou o secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico da cidade, Ronaldo Tadeu Ávila de Paula.

Na incubadora, as empresas encontram apoio público, já que a Prefeitura oferece subsídio para o funcionamento da InNova e os incubados pagam um valor simbólico de aluguel do espaço. Os recursos provenientes deste aluguel são revertidos em atividades para os próprios incubados, como capacitação e ajuda no plano de negócio. A incubadora ocupa uma área de 220 m² e disponibiliza 11 salas equipadas com linhas telefônicas e internet a todos os projetos. “Não poderíamos ter esse espaço ocioso e não prestar o serviço que devemos à população. Nossa sociedade pede renovação e é o que vamos oferecer”, afirmou o prefeito Carlos Grana. 

Conheça as empresas que farão parte do InNova
SOWUP – A empresa atua no desenvolvimento de produtos e equipamentos voltados à área médico-hospitalares, biotecnológicos e agropecuária.
GADE HOSPITALAR – Trabalha no setor hospitalar.
POLARIS – Ramo de tecnologia da informação focada em desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis.
AMI/FAPONLINE – A instituição desenvolve tecnologia para a gestão de saúde.
INTEGRAL /ARETÊ – Empresa que desenvolve tecnologias e métodos educacionais, criando softwares e jogos educacionais.
DOX – Focada em soluções de gerenciamento de documentação em ambiente técnico e de engenharia.
BIOTERA – Baseia-se no desenvolvimento sustentável, com foco em projetos e serviços para o meio ambiente, segurança e saúde do trabalho, integrando soluções.
S.E.R – Voltada para soluções ambientalmente sustentáveis. A empresa busca identificar locais onde há desperdício de energia, proveniente de resíduos sólidos e oferece uma alternativa para geração de energia.

Comente aqui