Data: 14/03/2019 12:14 / Autor: Redação ABCdoABC / Fonte: Estadão Conteúdo

Presidente afirma ter 'poder de veto' em nomeações

Bolsonaro afirmou ontem, em café da manhã com jornalistas, que, apesar de ter dado carta branca aos seus ministros para nomeações, tem "poder de veto" em determinados casos


Bolsonaro falou em "poder de veto" ao justificar o pedido feito ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, para que não nomeasse Ilona Szabó
Bolsonaro falou em "poder de veto" ao justificar o pedido feito ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, para que não nomeasse Ilona Szabó

Crédito: Reprodução/TV Globo

Bolsonaro falou em "poder de veto" ao justificar o pedido feito ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, para que não nomeasse a cientista política e especialista em segurança pública Ilona Szabó. Segundo o presidente, ela defende posicionamentos "incompatíveis com o governo". Em fevereiro, Ilona foi "desconvidada" por Moro para assumir o posto de suplente do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária.

Aborto
Bolsonaro disse ainda que o principal problema no caso de Ilona foram suas posições em relação a temas que poderiam gerar problemas para ele com a base aliada. Na época, houve grande repercussão nas redes sociais contrária à nomeação.

Para o presidente, o fato de a cientista política defender a legalização do aborto, por exemplo, poderia criar "ruído" no Legislativo. Bolsonaro afirmou que teve uma conversa "tranquila" com Moro sobre o assunto e ele compreendeu a questão.

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo após a "demissão", Ilona disse que Moro lamentou, mas estava sendo pressionado, "porque o presidente Bolsonaro não sustentava a escolha na base dele".

O vice-presidente, general Hamilton Mourão, também criticou o recuo e disse que o Brasil perdia. "Perde o Brasil todas as vezes que você não pode sentar numa mesa com gente que diverge de você", afirmou o general na ocasião.

Comente aqui