Data: 26/02/2019 16:58 / Autor: Redação ABCdoABC / Fonte: Estadão Conteúdo

Conselho do colégio Santa Cruz pede renúncia após interferência religiosa

O colégio Santa Cruz, no Alto de Pinheiros, na zona oeste da capital, teve uma renúncia coletiva em seu Conselho de Administração nesta segunda-feira, 25


Em carta, os conselheiros explicam que a decisão é consequência de uma ação da atual gestão da Congregação de Santa Cruz, mantenedora do colégio, para ampliar o caráter religioso da escola.

Um dos mais tradicionais colégios da elite paulistana, o Santa Cruz é frequentado por filhos de empresários e banqueiros. Tem entre seus ex-alunos o presidente do banco Itaú Unibanco, Candido Botelho Bracher, que até então também integrava o conselho da escola.

Com 67 anos, o colégio há mais de 20 anos era praticamente gerido pelo Conselho de Administração, que tinha autonomia para nomear os diretores e administrar o orçamento da escola. Na última reunião, a mantenedora comunicou que transformaria o conselho em um órgão apenas consultivo. O que resultou na renúncia.

Desde que irmãos americanos assumiram a liderança da congregação no lugar de padres canadenses, havia receio de que o colégio pudesse perder o caráter leigo. Segundo a carta, em 2016, os irmãos implementaram uma administração centralizada para administrar as três escolas da congregação no Brasil, além da unidade em São Paulo, têm uma em Campinas e em Santarém.

A centralização da administração ficaria em Campinas. Assim, o Conselho de Administração teria que responder aos executivos em Campinas ou ao Conselho de Congregação composto unicamente por religiosos, segundo informa a carta.

"Tendo representado os ideais dos padres fundadores junto à comunidade de pais, alunos e docentes, alguns de nós há mais de 20 anos, julgamos necessário tornar pública esta carta, como uma forma de prestação de contas e formalização da nossa renúncia", diz a carta, que tem como signatários o cientista Fernando Reinach, presidente do colegiado, o administrador Ricardo Belotti e o engenheiro Lair Krahenbuhl, além de Bracher.

Em circular enviada às famílias de alunos, a direção do colégio agradece aos integrantes que deixaram o colegiado "por diferenças de pontos de vista em relação à natureza do conselho". Afirma ainda que, em breve, serão anunciados os novos membros, que se juntarão aos atuais conselheiros: padre José de Almeida Prado, padre Robert Grandmaison, irmão Ronnie Lenno Farias Silva, Flavia Cristina Piovesan e Denise Aguiar Alvares.

Em nota, a direção do colégio diz que a alteração não trará nenhuma mudança nos princípios pedagógicos ou curriculares. Também informou que o Santa Cruz é uma "escola católica pluralista aberta a todas as opções religiosas" e seguirá oferecendo humanista para formar cidadãos críticos e atuantes. "As mudanças no Conselho Administrativo devem trazer renovação e importantes colaborações para a gestão da escola", afirma.

Comente aqui