Data: 08/11/2018 11:10 / Autor: Redação / Fonte: Conteúdo

SLAM: Voz de Levante tem pré-estreia no Itaú Cultural

No final da sessão, as diretoras conversam com o público do instituto, que apoiou a sua realização, sobre o documentário que retrata os campeonatos de Poetry Slams no Brasil, EUA e França


Slam - Voz de Levante | Trailer Oficial

Crédito: reprodução/youtube Slam - Voz de Levante | Trailer Oficial

No dia 13 de novembro (terça-feira), às 20h, o Itaú Cultural sedia a pré-estreia de SLAM: Voz de Levante. A exibição do filme será seguida por um bate papo com as diretoras, Tatiana Lohmann e Roberta Estrela D’Alva. A produção conta a história dos Poetry Slams, campeonatos performáticos de poesia falada que chegaram no Brasil há 10 anos e onde os jogadores rimam falas poéticas de críticas políticas, de injustiças sociais e, principalmente, de resistência. Em 22 de novembro, o longa-metragem documentário estreia nas salas do Espaço Itaú de Cinema em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Bahia e Distrito Federal.

Originários da Chicago dos anos de 1980 e hoje disseminados pelo mundo todo, esses eventos trazem na essência organizar comunidades em torno do encontro, da livre expressão e da escuta. O filme relata o crescimento dessa cena no Brasil desde 2008, quando foi introduzida, entre outros, pela poeta e MC Roberta Estrela D’Alva. Ela mostra no documentário as origens do movimento nos Estados Unidos e acompanha a campeã brasileira de 2016, Luz Ribeiro, até a Copa do Mundo de Slam, em Paris, representando uma nova onda feminista e negra que tem se firmado pela virulência poética do verbo politizado.

A trilha sonora mescla músicos da mais alta qualidade no gênero. Ela é assinada por Eugênio Lima e Roberta Estrela D’Alva e traz vozes de alguns dos mais relevantes nomes do funk, rap, pop e rock nacional como MV Bill, MC Marechal, Liniker e os Caramelows, Ellen Oléria, Lurdez da Luz e Alexandre Basa, Karina Buhr, Frente 3 de Fevereiro, Jessica Care Moore, Raphão Alaafin, MC Daleste, Metá Metá, Avante o Coletivo, Aláfia e Inquérito. Conta, ainda, com a participação especial da artista de spoken word norte-americana Jessica Care Moore. A faixa Levante, interpretada por Lurdez da Luz, é assinada pelo produtor musical Alexandre Basa, reconhecido internacionalmente.

O filme ganhou o Prêmio Especial do Júri e Melhor Direção de Documentário, no Festival do Rio, em 2017, e Melhor Filme Nacional, no Festival Internacional de Mulheres no Cinema, em 2018. Em uma ação de acessibilidade, o longa-metragem apresenta legenda descritiva, ferramenta que permite que pessoas com surdez e deficiência auditiva assistam ao filme.

Ao final da sessão no Itaú Cultural, serão abordados pelas diretoras diversos temas que permeiam os processos de produção, direção e realização da obra iniciada pelo interesse de Tatiana em acompanhar a amiga Roberta, na Copa do Mundo de Slam, em 2008. “Quando voltamos não imaginava que poderia virar um longa. O filme mostra o fortalecimento dessa cena no Brasil, ” conta ela. 

No decorrer dos 81 minutos do documentário, elas também visitam campeonatos de Slam em Nova York e Chicago, além da Copa do Mundo, na Europa. Todos esses cenários contrastam com as competições mostradas no Rio de Janeiro e em São Paulo. “Quando vimos o potencial e o tamanho do Slam em Paris, com poetas do mundo todo, enxergamos um movimento mundial, então decidimos fazer o filme e fomos para Nova York e Chicago entrevistar os pioneiros e vimos uma coisa ainda maior, ” completa Estrela D’Alva.

O filme conta com o apoio do Itaú Cultural e produção da Exótica Cinematográfica em coprodução com a Globo Filmes, GloboNews e Miração Filmes. No início, por sete anos, o projeto não recebeu nenhum incentivo, sendo feito com recursos próprios das diretoras, que acreditavam na força do que estavam realizando. Roberta, integrante do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos iniciou esse movimento com o ZAP – Zona Autônoma da Palavra. Altamente envolvida com o tema, resume a tônica destes campeonatos: “O Slam é um levante em curso, emana das pessoas para as pessoas é um exercício de cidadania de fala e escuta. É o levante das mulheres negras, indígenas e LGBT+, de todas essas vozes oprimidas durante séculos e que agora falarão em vários ambientes. ”

Sobre as diretoras

Roberta Estrela D'Alva é Bacharel em Artes Cênicas pela Universidade de São Paulo (USP) e Mestre em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica (PUC/SP).  Ela é diretora, dramaturga, poeta, cantora e pesquisadora da palavra falada. Atualmente apresenta o programa Manos & Minas, na TV Cultura e integra o grupo de teatro Hip Hop Núcleo Bartolomeu de Depoimentos e a Frente 3 de Fevereiro. Co-dirigiu e roteirizou o documentário Zumbi Somos Nós, comissionado pelo programa DOCTV, da TV Cultura. Foi coautora da videoarte A Imagem do Som: Futebol, exibido na Casa de Culturas do Mundo, em Berlim, e no 15º Festival Internacional Videobrasil. Responsável pela chegada do Poetry Slam do Brasil, é curadora do Rio Poetry Slam e organizadora do Slam BR?. Em 2014, seu primeiro livro, intitulado Teatro Hip-Hop, uma performance poética do ator-MC, foi publicado pela Editora Perspectiva.

Tatiana Lohmann é diretora, montadora e fotógrafa. Realizou curtas, longas e séries de TV, na MTV, TV Cultura, Nat Geo e TV Brasil. Dirigiu e montou Solidão & Fé, documentário de 2010, vencedor do Prêmio do Júri Popular, na Mostra de Cinema de Tiradentes; A Vida Começa, de 2014, e crônicasNÃOditas, de 2015, séries de ficção no Canal Curta!; Todas as Manhãs do Mundo, de 2017, em codireção com Lawrence Wahba; SLAM: Voz de Levante, em codireção com Roberta Estrela D'Alva. Atualmente finaliza o longa Minha Fortaleza, Os Filhos de Fulano, vencedor do Fundo Avon de Mulheres no Audiovisual, de 2018, e prepara o roteiro de seu primeiro longa de ficção, O Anjo, junto com o coletivo Manifesto Impromptu.

FICHA TÉCNICA

Direção e roteiro: Tatiana Lohmann e Roberta Estrela D’Alva

Direção de fotografia: Tatiana Lohmann, Sergio Roizenblit e Humberto Bassanelli

Montagem: Tatiana Lohmann

Produção-executiva: Marina Puech Leão, Roberta Estrela D’Alva e Tatiana Lohmann

Produção: Marisa Reis

Consultoria de roteiro: Miguel Machalski

Som direto: Bruno Lohmann Soares

Trilha sonora: Roberta Estrela D’Alva e Eugênio Lima, com músicas de MV Bill, MC Marechal, Liniker e os Caramelows, Ellen Oléria, Lurdez da Luz e Alexandre Basa, Karina Buhr, Frente 3 de Fevereiro, Jessica Care Moore, Raphão Alaafin, MC Daleste, Metá Metá, Avante o Coletivo, Aláfia e Inquérito

Edição e mixagem de som: Pedro Noizyman

Arte gráfica: Tide Gugliano, Murilo Thaveira e Sato do Brasil (casadalapa)

Produção e finalização: Beto Bassi

Pós-produção: Zumbi Post

Realização: Exótica Cinematográfica

Coprodução: Miração Filmes e Globo Filmes/GloboNews

Apoio: Itaú Cultural

Distribuição: Pagu Pictures e Bretz Filmes

SERVIÇO

Dia 13 de novembro, terça-feira

Às 19h

Pré-estreia do filme SLAM: Voz de Levante

Duração do filme:  81 minutos

Duração total: aproximadamente 150 minutos

Classificação indicativa: livre

Sala Itaú Cultural (174 lugares)

Entrada gratuita

Distribuição de ingressos:

Público preferencial: duas horas antes do evento | com direito a um acompanhante

Público não preferencial: uma hora antes do evento | um ingresso por pessoa

Comente aqui