Data: 09/05/2018 15:50 / Autor: Redação / Fonte: Ricardo Viveiros & Associados

Permissionários da Ceagesp pedem urgência na construção de novo entreposto

Condições insustentáveis do velho entreposto da Vila Leopoldina preocupam muito os comerciantes e produtores, que lutam por melhores condições de trabalho


No próximo dia 11 de maio, o Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, deverá anunciar o projeto escolhido para a construção e operação do novo entreposto de hortifrutigranjeiros na Região Metropolitana, dentre as quatro propostas que atenderam ao chamamento público, realizado em outubro de 2017. É grande a expectativa dos permissionários da antiga Ceagesp, que consideram premente a sua transferência, devido às suas precárias condições sanitárias, logísticas, de higiene e segurança, além dos congestionamentos de trânsito e alagamentos.

Onivaldo Comim, presidente da Associação dos Permissionários do Entreposto de São Paulo (APESP), salienta que há urgência quanto ao posicionamento definitivo do governo paulista. "A indefinição está gerando insegurança no setor de abastecimento. Há décadas lutamos por melhores condições de trabalho. Agora que estamos próximos de finalmente ter uma solução, esperamos que seja cumprido o prazo original de 11 de maio".

Um eventual adiamento por mais 60 dias seria danoso, pois a Copa do Mundo e, principalmente, o calendário eleitoral poderiam inviabilizar uma decisão este ano, repassando a definição para o governador a ser eleito em outubro e empossado em janeiro de 2019. "Porém, nós não podemos parar por causa do futebol e das eleições, pois temos a responsabilidade de abastecer a população, o que está cada vez mais difícil no antiquado e precário entreposto da Vila Leopoldina", pondera Onivaldo Comim.

Claúdio Furquim, presidente do Sindicato dos Permissionários em Centrais de Abastecimento de Alimentos do Estado de São Paulo (Sincaesp), também se posiciona com preocupação. "Nossa entidade e seus associados entende que toda medida que venha com o intuito de melhorar nossa infraestrutura é bem-vinda. Hoje, nossas instalações nos atendem muito precariamente, pois estamos trabalhando num entreposto defasado, com mais de 40 anos".

Participam do chamamento público com proposta de concessão, os grupos Benvenuto Engenharia, com terreno na zona Norte; Consórcio Ideal Partners, com terreno em Santana do Parnaíba e Consórcio Fral, com terreno em Barueri; e o NESP (Novo Entreposto de São Paulo), único grupo cuja proposta apresenta o modelo de convênio e não de concessão. Seu terreno localiza-se em Perus. No dia 11 de maio, o governo paulista deverá publicar no Diário Oficial do Estado a definição que apontará o projeto vencedor

A Associação dos Permissionários acredita em um modelo coletivo de gestão. "A APESP, enquanto entidade, defende a participação dos permissionários no gerenciamento do entreposto, garantindo uma segurança no futuro a partir da gestão de quem entende do nosso negócio", explica Comim.

Comente aqui