Data: 08/11/2018 11:26 / Autor: Redação / Fonte: Conteúdo Comunicação

LaMínima estreia espetáculo no Itaú Cultural em programação especial

Tendo o circo como linguagem central, o grupo fundado há duas décadas por Fernando Sampaio e Domingos Montagner (1962-2016) apresenta a peça inédita Ordinários


estreia de Ordinários- LaMínima
estreia de Ordinários- LaMínima

Crédito: Carlos Guelle

De 13 a 20 de novembro, o Itaú Cultural recebe a companhia LaMínima Circo e Teatro para uma programação especial. Indo além da proposta de realizar apresentações únicas de espetáculos teatrais, desta vez o instituto faz sessões diárias, de 14 a 20, da peça inédita Ordinários, com roteiro de Newton Moreno e Alvaro Assad, que assina também a direção da nova produção. No dia anterior, Fernando Sampaio, um dos fundadores do grupo, conversa com o público. No dia 15, eles lançam e fazem sessão de autógrafos do libro LaMínima 20 anos em Cena. No sábado e domingo, dias 17 e 18, a trupe participa do Fim de Semana em Família, programação que integra as atividades tradicionais do instituto para as crianças.

“Como o circo é a linguagem mais porosa das artes cênicas, por abrigar o teatro e também a dança, é com muita alegria que recebemos o LaMínima para celebramos, juntos, duas décadas de absoluta dedicação à essa tradição”, destaca Galiana Brasil, gerente do Núcleo de Artes Cênicas do Itaú Cultural. “Ocupar os espaços do instituto com a arte e o pensamento dessa trupe, dando a ver vários de seus desdobramentos – cena e produção de conteúdos –, é uma grande oportunidade para diferentes públicos”, aposta Galiana.

Camarim em Cena abre a programação especial na terça-feira, 13, às 16h, com Fernando Sampaio. Palhaço desde 1990, ele conheceu o ator Domingos Montagner (1962-2016) durante a formação no Circo Escola Picadeiro, onde decidiram fundar a companhia LaMínima Circo e Teatro. Essa trajetória, que agora ultrapassa duas décadas de atuação incessante, será compartilhada neste encontro aberto ao público e no qual Sampaio é convidado a falar sobre os processos de criação do grupo e sobre a preparação feita antes de entrar no palco. A conversa será mediada pelo jornalista e crítico teatral Valmir Santos, do Teatrojornal – Leituras de Cena.

Um dia depois dessa programação inicial, que contextualiza o público nesses 20 anos de atuação, de 14 a 20 de novembro (quarta-feira a terça-feira) o LaMínima faz a temporada de estreia de Ordinários. Concebida pelo diretor Alvaro Assad, que assina também a preparação mímica do elenco, Fernando Paz, Fernando Sampaio e Filipe Bregantim, a peça teve roteiro executado pelo grupo ao lado de Newton Moreno.

No palco, Paz, Sampaio e Bregantim vivem três soldados que formam um pelotão improvável, baseado em algum lugar qualquer. Depois de passarem pela angústia da espera, esmerando-se em treinamentos, eles finalmente recebem uma missão. Só que quanto mais avançam pelo território inimigo, mais ficam evidentes os segredos que um esconde do outro e o quanto são inadequados para o mundo da guerra. Assim, todos se questionam: afinal quem é adequado para ir à guerra?

“Começamos a trabalhar em Ordinários em 2017, quando nos aproximamos dos Palhaços Sem Fronteiras Brasil”, recorda Fernando Sampaio. “Acompanhamos algumas ações em ocupações e encontramos ali, naquelas áreas afetadas por situações de crises, mais um pretexto para uma nova produção, mais uma oportunidade de, através da palhaçaria, poder expressar um pensamento ou uma forma de ver a vida, através do humor”, justifica o ator.

O diretor Alvaro Assad destaca, ainda, que o humor é um espaço para a crítica, observando a potência dessa linguagem num espetáculo que tem como mote a guerra e a disputa humana em conquistar. “No espetáculo, o desafio foi manter o equilíbrio entre o humor tirado das situações de embate, disputa e tensão, e o tema, que provoca perigo a todo instante. A comicidade, o circo, os palhaços, as virtuoses físicas, mímicas e musicais estão em cena, assim como o perigo das disputas de poder”, analisa Assad.

Legado e novos públicos

Em paralelo, esta programação conta com lançamento de livro idealizado por Montagner, Sampaio e sua mulher a atriz Luciana Lima e, ainda, com uma atuação do elenco nas atividades para crianças do Fim de Semana em Família. No feriado do dia 15 (quinta-feira), às 15h30, a trupe participa da sessão de autógrafos de LaMínima 20 anos em Cena. Como o nome indica, o livro conta a trajetória do grupo, que, em 2017, completou duas décadas de história e presença marcante na cena circense brasileira. A publicação chega cinco anos depois primeira obra neste formato, LaMínima Em Cena - 1ª edição, que nasceu do desejo de contribuir para o prosseguimento da arte circense, registrando as experiências e trajetória da companhia.

Entre a publicação de um livro e outro, vieram novos espetáculos, exposição de fotos, figurinos e adereços, um documentário sobre a história do circo e do grupo pelo olhar dos palhaços e a trágica morte de Domingos Montagner, um dos fundadores da companhia. Assim, LaMínima 20 anos em Cena acrescenta à história deles suas últimas produções, junto a todos os espetáculos de seu repertório, além de projetos de criação coletiva e outros especiais, que complementam o entendimento do universo circense.

Nas tardes dos dias 17 e 18 (sábado e domingo), quem se delicia com a arte do LaMínima é a garotada. Antes de subir ao palco à noite com o espetáculo Ordinários, o grupo realiza uma dupla programação para crianças e adultos, tendo o circo, claro, no centro. A atividade tem início às 14h, com a Oficina Acrobática Pais e Filhos, uma proposta de praticar arte e trabalho físico em família. Nela, Sampaio, Paz e Bregantim entram em cena, respectivamente, como os palhaços Padoca, Montanha e Mendonça. Sempre acompanhados de um adulto, os pequenos dividirão com os mais velhos o conhecimento de princípios básicos de técnicas circenses, trabalhando, entre outras, diferentes possibilidades de acrobacias em dupla, trio e grupos.

Às 16h, a criançada é convidada a assistir ao espetáculo Reprise. Nele, dois palhaços descobrem, em cima da hora, que foram contratados pela mesma pessoa para fazer uma apresentação no mesmo local e horário. Depois de infrutíferas tentativas de acertar um com o outro quem sobe primeiro no picadeiro, eles decidem realizar o trabalho juntos.

No dia 19 (segunda-feira), os três atores da trupe comandam a Oficina de Palhaçaria e Comicidade Física, com 30 participantes adultos inscritos previamente (inscrições já encerradas). Serão abordados pontos do universo da palhaçaria, propondo aos participantes a ampliação de recursos, repertório e vocabulário para a prática circense.

Sobre a companhia

A Cia LaMínima de Circo e Teatro foi criada em 1997 por Domingos Montagner e Fernando Sampaio, amigos que se conheceram no Circo Escola Picadeiro, em São Paulo. Na escola, formaram uma dupla de palhaços e levaram às ruas números circenses desenvolvidos sob a orientação do Mestre Roger Avanzi, o Palhaço Picolino. Entre os 14 espetáculos da companhia, conduzida pelo circo e a arte do palhaço de picadeiro, estão À La Carte (2001), A Noite dos Palhaços Mudos (2008), Mistero Buffo (2012), o infantil Classificados (2014), de Paulo Rogério Lopes e direção de Domingos Montagner, e Pagliacci (2017).

Além de uma ampla trajetória em festivais de teatro e circo nacionais e internacionais, traz uma série de prêmios, como o Prêmio Shell de Teatro SP de Melhor Ator para Domingos Montagner e Fernando Sampaio, Prêmio de Melhor Espetáculo de Sala Convencional, e Melhor Elenco através do Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro 2008, ambos por A Noite dos Palhaços Mudos. A lista conta também com os APCA de Melhor Espetáculo infanto-juvenil por Piratas do Tietê – O Filme e Melhor Espetáculo com Técnicas Circenses por À La Carte; Prêmio Coca-Cola FEMSA na Categoria Especial pela Valorização de Números Circenses de Humor Físico de 2007, por Reprise, e tantos outros em seus 20 anos de formação.

Sobre o diretor e o elenco

Álvaro Assad fundou, em 1993, o grupo carioca Etc e Tal, do qual é gestor, diretor, ator e preparador mímico. Em outras companhias, dirigiu A Noite dos Palhaços Mudos (Cia LaMínima) e Melhor dos Mundos (Teatro de Anônimo), e fez a direção mímica de Mistero Buffo (Cia LaMínima) e Os MeQueTreFe (Parlapatões, Patifes & Paspalhões. Internacionalmente, dirigiu e roteirizou o número de Claudio Carneiro no espetáculo Joya, do Cirque Du Soleil, e Tempo e(m) Movimento (Rosiris Garrido), apresentado no Brasil e na Alemanha. No cinema, fez a preparação e direção mímica de Rodrigo Santoro para o filme Laços, que estreia em 2019. Entre outras agraciações, recebeu o Prêmio Newcomershow Krystallpalast Leipzig/Alemanha, Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro, Prêmio Zilka Sallaberry e Prêmio CBTIJ. E indicado aos Prêmios Shell/SP, Femsa/SP, Bravo-Prime/SP, Prêmio Maria Clara Machado/RJ e Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem.

Fernando Sampaio é palhaço desde 1990, formado pelo Circo Escola Picadeiro. Antes de criar o Grupo LaMínima, participou de diversos espetáculos com diferentes companhias de São Paulo. Como professor de Circo, trabalhou em importantes escolas de Circo de São Paulo: Circo Escola Picadeiro, Acrobático Fratelli e Galpão do Circo. Dentre seus trabalhos, destaca-se o espetáculo A Noite dos Palhaços Mudos (2008), que recebeu quatro indicações ao Prêmio Shell, seis ao Prêmio FEMSA 2008 e duas ao da Cooperativa Paulista de Teatro. Venceu também o Prêmio Aplauso Brasil 2018 de Melhor Ator por Pagliacci, Prêmio Mambembe e APCA como Melhor Ator em O Palácio não Acorda (1997), indicação de Melhor Ator ao Prêmio FEMSA com À La Carte (2001), Farsas Quixotescas (2000) e Navegadores (1999). É também um dos fundadores do Circo Zanni, projeto que busca revitalizar a importância dos circos de pequeno e médio porte na vida cultural das cidades.

Fernando Paz cursou a Universidade Livre de Música, com ênfase em violão. Atuou em espetáculos tocando violão, viola, rabeca, acordeon, trompete e baixo. Ator profissional desde 1998, integrou diversos grupos de São Paulo, como Grupo TAPA, Cia. do Latão, Fraternal Cia. de Artes e Malasartes. Atuou também em espetáculos da Cia. As Graças e do Circo Mínimo. Atualmente, trabalha com o Circo Zanni e desde 2011 na LaMínima. Em 2014, recebeu o Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem na categoria Melhor Ator Coadjuvante por seu trabalho em Classificados, da LaMínima.

Filipe Bregantim foi aluno do CEFAC – Centro de Formação em Artes Circenses, onde realizou dois espetáculos: O Verdadeiro Circo dos Famosos Artistas Desconhecidos (2007), com direção de Érica Stoppel, e Frisson (2009), de André Mandarino. Integra o elenco das companhias LaMínima, Pia Fraus, La Mala e Grupo DoisPierre. Na Cia. Piafraus, esteve em Gigantes de Ar (2008), Bichos do Brasil (2011), Filhotes da Amazônia (2013) e Kachtanka (2014), onde também assinou a trilha sonora original. Estreou na LaMínima Circo e Teatro em 2010, quando participou da criação do espetáculo Rádio Variété como músico e palhaço.

Ficha Técnica / espetáculo

Concepção: Alvaro Assad, Fernando Paz, Fernando Sampaio e Filipe Bregantim

Roteiro: Newton Moreno, Alvaro Assad e LaMínima

Assistente de Dramaturgia: Almir Martines

Direção e Preparação Mímica: Alvaro Assad

Direção musical e música original: Marcelo Pellegrini

Elenco: Fernando Paz, Fernando Sampaio e Filipe Bregantim

Iluminação: Marcel Alani

Figurino e Visagismo: Carol Badra

Cenografia: LaMínima

Adereços: Dario França, Juciê Batista e Reticências

Assessoria técnica de Magia: Ricardo Malerbi

Preparação de coreografia de Rockabilly: Keila Bueno

Direção de produção: Luciana Lima

Produção executiva: Priscila Cha

Assistência de produção e de administração: Chai Rodrigues

Supervisão geral: Fernando Sampaio

SERVIÇO

PROGRAMAÇÃO ESPECIAL LAMÍNIMA

Espetáculo Ordinários

Direção: Alvaro Assad. Elenco: Fernando Paz, Fernando Sampaio e Filipe Bregantim.

14, 16, 17 e 19 de novembro (quarta-feira, sexta-feira, sábado e segunda-feira), às 20h

15,18 e 20 de novembro (domingo e feriados), às 19h

Duração: 55 minutos

Classificação Indicativa: 14 anos

Sala Itaú Cultural (224 lugares)

Distribuição de ingressos: Aplicar nova regra de distribuição

Com interpretação em Libras

Camarim em Cena com Fernando Sampaio

Mediação: Valmir Santos

13 de novembro (segunda-feira), às 16h

Duração:  120 minutos

Classificação Indicativa: Livre

Sala Multiuso (40 lugares)

Com interpretação em Libras

Lançamento do livro LaMínima 20 anos em Cena

Idealizado por Domingos Montagner, Fernando Sampaio e Luciana Lima

15 de novembro (quinta-feira), 15h30

Duração: 90 minutos

Classificação Indicativa: livre

Sala Multiúso (100 lugares)

Fim de semana em Família

17 e 18 de novembro (sábado e domingo)

14h

Oficina Acrobática Pais e Filhos

Duração: 90 minutos

Classificação Indicativa: Livre (melhor aproveitado por crianças a partir de 8 anos)

Sala Multiúso (Piso 2)

Capacidade: 20 crianças com um acompanhante cada

Inscrições a partir das 13h30

Com interpretação em Libras

16h

Espetáculo Reprise

Duração: 50 minutos

Classificação Indicativa: Livre (melhor aproveitado por crianças a partir de 6 anos)

Sala Itaú Cultural (224 lugares)

Distribuição de ingressos a partir das 14h

Com interpretação em Libras

Entrada gratuita

Distribuição de ingressos:

Público preferencial: 1 horas antes do espetáculo (com direito a um acompanhante)

Público não preferencial: 1 hora antes do espetáculo (um ingresso por pessoa)

Comente aqui