Data: 25/06/2018 11:42 / Autor: Redação / Fonte: Página 1 Comunicação

Ações de sustentabilidade podem reduzir os custos em galpões logísticos

Além de contribuir com o meio ambiente, iniciativas trazem inúmeros benefícios e economia para empresas


GLP
GLP

A previsão da Organização das Nações Unidas (ONU) é que, até 2030, a demanda por água no mundo aumente em 50%. Sozinha, a indústria é responsável por 22% do consumo de água mundial. Iniciativas que visam a economia do recurso são essenciais para a sobrevivência humana. A GLP, líder global em soluções de condomínios logísticos, planeja e executa suas construções considerando questões socioambientais.

Além de adaptações em construções mais antigas, os novos projetos dos condomínios construídos pela GLP são desenvolvidos também para a obtenção de certificações ambientais, que são diferenciais competitivos no portfólio da empresa. Mais de 100 prédios na China, Japão, Estados Unidos, Europa e Brasil, com certificações de construções ecológicas, incluindo LEED, BREEAM e CASBEE, as mais relevantes do mundo.

Entre as adaptações estão mudanças simples, como a troca da iluminação por lâmpadas LED, mais econômicas e que podem reduzir em até 70% os gastos com energia, e implementação de reuso de água, reduzindo o consumo em até 55%.

“Além do objetivo em si que é contribuir com o meio ambiente, a sustentabilidade tornou-se presente em operações e no ambiente empresarial como uma solução para a melhoria de processos e redução de custos operacionais. Seja na construção ou nas operações diárias, pensar em formas de reduzir custos com energia, reutilizar a água e otimizar a iluminação e ventilação faz parte da nossa rotina”, afirma Mauro Dias, presidente da GLP Brasil.

Independente do país onde estão localizados, os empreendimentos da GLP apresentam características sustentáveis. A certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) é um reconhecimento para construções sustentáveis concedida pela ONG americana U.S. Green Building Council (USGBC), de acordo com os critérios de racionalização de recursos e padrões construtivos atendidos por uma edificação. A GLP tem mais de 30 galpões certificados como LEED no Japão, Estados Unidos e Brasil, que detém cerca de 40% deles. A construção recentemente concluída em Irajá, no Rio de Janeiro, por exemplo, já recebeu a certificação na categoria Gold, uma das mais importantes na classificação.  No Japão, em 2013 o GLP Misato III foi o primeiro empreendimento logístico certificado com o selo LEED Platinum, a categoria mais alta. E também foi classificado como um dos 13 vencedores internacionais  do Urban Land Institute’s 2014 Global Awards for Excellence.

O GLP Guarulhos é o maior empreendimento da GLP no Brasil com 450 mil m². Dias conta que toda a construção foi elaborada com princípios de sustentabilidade. “Durante a obra, foram criadas medidas de prevenção e controle da poluição do solo e do ar. Além disso, o local do empreendimento escolhido é em uma zona industrial, próximo à área urbana, não afetando assim, a fauna e flora locais, e foram também mantidas áreas verdes no terreno”, conta.

Ainda segundo Dias, as ações de sustentabilidade são realizadas com quatro objetivos principais: consumo de energia eficiente; conservar recursos, prevenir poluição; e promover o design sustentável de prédios verdes para reduzir os impactos ambientais. “A GLP busca contribuir de uma maneira positiva e significativa nas comunidades e ambientes onde opera”, comenta. “O compromisso da GLP com a sustentabilidade é formalizado em uma estrutura abrangente que é prontamente disponibilizada para todos os funcionários, fornecedores, provedores de serviços e parceiros”, completa.

A GLP é membro da GRESB, uma organização que avalia e apoia a performance sustentável de empresas do setor imobiliário em todo o mundo, e tem fundos classificados com o selo “Green Star” da GRESB.

Comente aqui