Data: 23/05/2019 16:20 / Autor: Redação / Fonte: Consórcio Intermunicipal Grande ABC

ABC fará parte de dois polos de desenvolvimento econômico

O programa estadual está alinhado com política do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, que criará a Diretoria de Desenvolvimento Econômico


O programa também conta com os pilares de Infraestrutura e Serviços e Ambiente de Negócios & Desburocratização
O programa também conta com os pilares de Infraestrutura e Serviços e Ambiente de Negócios & Desburocratização

Crédito: Governo do Estado de São Paulo

O Grande ABC fará parte de dois dos 11 polos de desenvolvimentos econômico anunciados pelo Governo do Estado. A região fará parte dos polos Automotivo (junto com Sorocaba, Campinas, Piracicaba e Vale do Paraíba) e Químico, Borracha e Plástico (ao lado da cidade de São Paulo e das regiões metropolitanas da Baixada Santista, Grande São Paulo, Campinas, Alto Tietê e Vale do Paraíba). O lançamento do programa foi feito pelo governador João Doria, na manhã desta quinta-feira (23/5). 

O objetivo da ação é incentivar o aumento da produtividade da indústria, atraindo investimentos, impulsionando a inovação e a geração de empregos e renda, reunindo na mesma região geográfica políticas para determinado setor produtivo.

O projeto estadual se alinha com as diretrizes da atual gestão do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, que trabalha para a criação da Diretoria de Desenvolvimento Econômico, proposta do atual presidente do Consórcio ABC e prefeito de Santo André, Paulo Serra, que já foi aprovada em assembleia pelos chefes dos Executivos municipais da região. 

"Descobrir as novas vocações socioeconômicas da região e potencializar as já existentes é uma das prioridades do novo modelo de gestão do Consórcio ABC. Por isso, integrar os polos de desenvolvimento traz competitividade aos municípios e fomenta a cadeia produtiva, fortalecendo a economia regional", afirmou Paulo Serra.      

Os polos de desenvolvimento econômico do Governo do Estado serão concedidos de acordo com a vocação de cada setor e são baseados em seis pilares. Fiscal e Regulatório projeta a simplificação tributária de acordo com as necessidades setoriais. Já Financiamento prevê a articulação de políticas de financiamento setoriais liderado pelo DesenvolveSP (banco de desenvolvimento do Governo do Estado. O pilar P&D e Tech - Ecossistema de Inovação deve criar linhas de financiamento específicas e fomento à pesquisa aplicada, via Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). 

Também há o eixo de Qualificação de Mão de Obra. “Serão cursos customizados e adequados às demandas de cada região pelo Centro Paula Souza, por meio das Faculdades de Tecnologia de São Paulo (Fatecs) e Escolas Técnicas Estaduais (Etecs), instituições sólidas e historicamente capacitadas, que darão suporte ao setor produtivo nas regiões dos polos de desenvolvimento econômico”, afirmou o governador João Doria. 

O programa também conta com os pilares de Infraestrutura e Serviços (atuação em serviços de infraestrutura, transporte, segurança, conectividade e outros nos polos) e Ambiente de Negócios & Desburocratização.

“A atuação dos polos é para identificar as falhas de mercado e atuar nas falhas de governo, alavancar a produtividade e competitividade do setor privado, impulsionando e melhorando as políticas públicas nas regiões onde as cadeias produtivas estão instaladas”, explicou a secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen.

Comente aqui